sexta, 18 de setembro de 2020

Economia
Compartilhar:

Aumento de combustíveis já mexe com o bolso

Rammom Monte / 15 de dezembro de 2016
Foto: Arquivo
Dez dias após o anúncio da Petrobras de que a gasolina iria aumentar, o consumidor já consegue perceber o acréscimo nos postos de combustíveis. Porém, se por um lado o aumento vem de forma rápida, o decréscimo não aconteceu desta maneira. No começo do mês de novembro, o governo anunciou que o valor da gasolina iria baixar, mas a população não viu isto nas bombas. É o que disse o taxista Johnny Fernandes. Segundo ele, o aumento já é sentido no bolso.

“Eu abasteço mais com gás, mas também sempre coloco gasolina. E andando por aí, eu percebi que a diminuição foi só no papel, já o aumento foi real. Em relação ao Gás Natural, faz seis meses que só vejo ele subindo, não vi uma queda ainda”, disse.

Já o empresário Rinker Cabral afirma que conseguiu ver a diminuição e que ainda não precisou abastecer o carro após o aumento de preços, mas já adiantou que terá que cortar despesas por conta da alta.

“Deu para perceber sim as duas reduções, mas completei antes de aumentar. Mas já vi o aumento e não precisei ainda.Mas vou sentir. Vão ser 3 lanches a menos durante a semana.  O que aumentou menos foi R$ 0,10”, disse.

Nesta semana a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) realizou uma pesquisa que constatou que o preço da gasolina subiu em 84 postos de combustíveis em João Pessoa. O menor preço do produto está em R$ 3,419 (posto Milenium – Água Fria), o mesmo praticado no levantamento realizado no dia 28 de novembro de 2016.

Dos 104 postos em atividades em João Pessoa, apenas 1 reduziu e 18 mantiveram o preço da gasolina. O maior valor continua a ser praticado a R$ 3,799 nos postos Canaã (Água Fria) e Big Tambaú (Tambau).

Segundo o secretário-adjunto do Procon-JP, Ricardo Holanda, a fiscalização nos postos de combustíveis é rotineira após um grande número de estabelecimentos aumentarem o valor do produto. “Estamos solicitando as três últimas notas fiscais para que possamos avaliar se o produto já foi adquirido com o aumento anunciado pelo Governo Federal no início de dezembro. Se a compra ocorreu antes do aumento, não há motivo para a elevação do preço nesse momento”.

Álcool

Segundo a pesquisa atual, o menor preço do litro do álcool passou de R$ 2,690  para R$ 2,699 (Texas – Funcionários II) e, o maior, continua em R$ 3,199 (Deville – Água Fria, Vilagio – Bancários e Cajueiro – Geisel). O valor se manteve em 72 postos, aumentou em quatro e reduziu em 14 estabelecimentos.

Diesel

Quanto ao óleo diesel, a pesquisa registrou aumento no menor preço, passando de R$ 2,749 no final de novembro para R$ 2,799 (posto BSB – Bancários, Independência – Tambiá, e Automix – Torre) na pesquisa atual. O maior preço do óleo diesel também sofreu elevação, passando de R$ 3,099 para R$ 3,160 (Cidade – Cidade Universitária). O produto aumentou de preço em 23 postos, um reduziu e 19 postos mantiveram o preço.

GNV

O preço do Gás Natural Veicular (GNV) se manteve nos 12 postos em funcionamento na Capital em relação à pesquisa anterior, com o menor em R$ 2,199 (posto Estrela – Geisel) e, o maior, R$ 2,429 (Santa Júlia – Epitácio Pessoa).

Relacionadas