terça, 11 de dezembro de 2018
Denúncia
Compartilhar:

Cemitério de João Pessoa sofre com falta de limpeza e descaso

Aline Martins / 08 de agosto de 2018
Foto: Assuero Lima
Túmulos quebrados e encobertos pela vegetação, restos mortais expostos e muita sujeira. Essa é a atual situação do maior cemitério de João Pessoa, o Senhor da Boa Sentença, que é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphaep). Funcionários e visitantes reclamam que a limpeza das áreas de responsabilidade pública só ocorre em períodos celebrativos como Dia das Mães, dos Pais e Finados, quando há uma intensa movimentação. O abandono se torna maior quando parte de um muro que caiu em maio do ano passado na frente de uma residência na comunidade Santa Emília de Rodat ainda não foi reconstituído.

Na parte superior do cemitério, ou seja, nas proximidades das entradas principais, aparentemente o trecho se mantém conservado, apesar de no entorno de alguns túmulos ter sujeira. No entanto, na parte mais baixa, na área onde dá acesso a uma comunidade, alguns túmulos estão encobertos pela vegetação e depredados. Uma parte do ossuário que não foi levado após a queda do muro, em maio do ano passado, também está destruída. A ação de vândalos, que inclui pichação e furtos de peças feitas em prata, bronze e mármore, contribui para piorar a situação do cemitério.

Pessoas que trabalham como zeladores reclamam da falta de cuidado com o local. “Quando você enterra um parente, espera pelo menos que o cemitério fique limpo, mas o que se vê é abandono. Às vezes tem uns meninos que ficam soltando pipa por perto, sobem nos túmulos e acabam quebrando porque não tem segurança nenhuma. Aqui não tem só gente morta enterrada, tem muito bicho morto que o pessoal vem e joga e temos que enterrar”, revelou uma zeladora que preferiu não se identificar.

“Aqui está tudo desmantelado, esculhambado. É preciso melhorar muito porque é feito demais você vim visitar um familiar e encontrar nessa situação”, comentou outra zeladora. Quem tem amigos e familiares enterrados no Boa Sentença, principalmente na área mais baixa, reclamou do abandono. “Se você vier fora dos dias comemorativos você vai encontrar tudo desorganizado. Na parte de cima é maquiado e área baixa fica a sujeira”, lamentou o professor Pedro Júnior. Em relação ao muro que caiu, a moradora da casa atingida Ana Paula da Silva lamentou que passados mais de um ano e três meses nada foi feito.

Zeladoria e muro

O secretário de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa (Sedurb), João Furtado, comentou que a pasta está em conjunto com a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) fazendo a zeladoria dos cemitérios esta semana para o Dia dos Pais. Sobre o muro, informou que como o cemitério é tombado pelo Iphaep e qualquer mudança ou obra necessita da autorização do Instituto.

Relacionadas