segunda, 23 de novembro de 2020

Cultura
Compartilhar:

Suíço aborda relacionamento com soropositiva em quadrinhos

Renato Félix / 29 de dezembro de 2015
Foto: Arquivo
O desenhista suíço Frederik Peeters conheceu Cati por acaso e, após alguns encontros, pinta o clima e jantam juntos. E, aí, a revelação. Ela – e não só ela, mas também seu filho pequeno – é soropositiva. E agora? Pílulas Azuis é o excelente álbum em quadrinhos em que Peeters escreve e desenha essa história autobiográfica; álbum que a Editora Nemo publicou há alguns meses e que chega ao final de 2015 como um dos melhores do ano.

Em preto-e-branco, Peeters narra a aproximação entre os dois, suas dúvidas e a da namorada, a convivência com o filho dela, as questões de saúde envolvendo exames periódicos e autoavaliaçoes constantes, o sexo e exatamente o quão arriscado ele é, as indefinições acerca do futuro, os sacrifícios e apoios de cada um para fazer o relacionamento vingar.

É um olhar de dentro e de fora ao mesmo tempo. A observação de Peeters, que não é portador do HIV sobre alguém que tem que lidar com ele todos os dias, ele também passando a ter que lidar com isso no cotidiano e aprender cada vez mais sobre a Aids, suas verdades e lendas que precisam ser desmistificadas (nesse sentido, os diálogos com o médico de Cati são esclarecedores).

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas