terça, 25 de junho de 2019
Televisão
Compartilhar:

Autora de ‘Os dez mandamentos’ e ‘Apocalipse’ conversa com o Correio da Paraíba

Lílian Moraes / 08 de dezembro de 2017
A autora Vivian de Oliveira foi a responsável pelo maior sucesso da história recente da Record TV , “Os Dez Mandamentos”. Ela, que também já escreveu algumas séries bíblicas do canal, escreve sua primeira novela contemporânea, “Apocalipse”. Ela falou com exclusividade com o Correio da Paraíba e contou que acredita que Deus lhe inspira. “Eu faço minhas orações”, disse a autora que confessa a fé protestante.

Vivian estreou como roteirista de televisão em 1997, quando escreveu a minissérie Por “Amor e Ódio”, na Record TV, emissora da qual nunca se desligou. Nos anos seguintes, atuou como colaboradora nas novelas “Estrela de Fogo”, “Tiro e Queda” e “Metamorphoses”. Entre 2005 e 2007, integrou a equipe de roteiristas do humorístico “Show do Tom” com Tom Cavalcanti.

Após colaborar nos textos de “Os Mutantes”, de Tiago Santiago, Vívian de Oliveira passou a se dedicar às tramas bíblicas na emissora. Entre 2010 e 2013, assinou as minisséries “A História de Ester”, “Rei Davi”, “José do Egito” e “Milagres de Jesus”. O êxito de seus trabalhos fez com que a Record a escolhesse como autora principal da primeira novela bíblica da emissora: Os Dez Mandamentos  que teve uma das maiores audiências da televisão brasileira.

Depois do sucesso de Os Dez Mandamentos, a novela e filme, qual o desafio dessa novela com um tema tão polêmico?

O desafio de escrever Apocalipse é que é uma temática que está no imaginário popular e que muita gente fica com medo só de falar como é que vai acabar os finais dos tempos, existem muitas interpretações bíblicas diferentes, mesmo dentro do Cristianismo, muitas pessoas interpretam de uma maneira diferente, então o desafio vai ser transmitir o que está no livro de Apocalipse, dentro de uma novela que foi criada, os personagens, num contexto fictício, transferir essa mensagem e fazer de uma forma envolvente, sem entrar no mérito de qual visão está certa ou que está errada, mas passar a visão que nós escolhemos para passar esse tema.

Como é adaptar uma história bíblica que fala sobre o fim dos tempos com cenas tão atuais?

A opção de escrever essa novela nos tempos de hoje, de uma novela contemporânea, foi uma ideia que partiu da Record TV, e eu achei uma ótima ideia, até porque o fim do mundo ainda não acabou. Desde os tempos dos avós nós ouvimos que o fim do mundo está próximo, mas muita gente acredita que não, que isso é história da carochinha, mas na verdade se o mundo como a gente conhece hoje vai chegar ao fim, nada mais coerente do que passar essa novela nos dias de hoje. E o desafio é esse realmente, brincar com essas possibilidades. O que a gente vai retratar é o que está na Bíblia mesmo, conflitos muito atuais, catástrofes que existem no mundo, as tragédias e cada vez mais a gente percebe que o mundo está realmente chegando num momento crítico.

O que mais tem te surpreendido no livro do Apocalipse?

O que mais tem me surpreendido é que depois de muito estudo, aprofundamento, muita pesquisa, ele não é um livro tão complicado como as pessoas imaginam, nem é um livro tão difícil de entender. Um livro que fala de forma muito objetiva sobre o que vem por aí e sobre a decisão que cada pessoa deve fazer e sobre a luta final ente o bem e o mal, e entre a escolha de passar a vida na eternidade ou na condenação eterna também.

Mesmo sendo uma história na qual o público já sabe o final, o que podemos esperar de novo?

O que o público pode esperar de novo é que vai ser uma trama surpreendente, com todos os elementos do folhetim clássico, intrigas, romances, luta pelo poder, ambição, nós vamos mostrar como é que o mundo está hoje e a expectativa espiritual, isso tudo, e como as coisas vão acontecer, nós vamos apresentar personagens fictícios inspirados na nossa atualidade e como é que essas histórias vão desenrolar.

Qual é o seu toque pessoal para a trama?

O meu toque pessoal para essa trama, é o que eu tenho feito desde A História de Ester, principalmente com Os Dez Mandamentos, é mostrar o dia-a-dia das pessoas, o conflito de cada ser humano, mostrar essas emoções indo ao extremo, é uma narrativa ágil, rápida, com muitas reviravoltas para todo mundo querer ver o próximo capítulo.

Quantos capítulos a trama terá e o público pode interferir ao longo do desfecho de seus personagens preferidos?

A novela Apocalipse terá cento e setenta capítulos, a gente sempre vai estar atento a recepção do público, a algum personagem que se torna mais querido, mas como muitos capítulos são gravados com antecedência, nem sempre isso é possível.

Qual a missão dessa trama?

A missão dessa trama é levar uma mensagem de fé, de esperança, fazer as pessoas refletirem sobre o tempo atual que a gente vive, sobre o mundo espiritual que existe, sobre as profecias que estão se cumprindo, fazer as pessoas verem que não dá para simplesmente viverem e irem tocando suas vidas no dia-a-dia porque o fim está próximo realmente, pelo menos o fim do mundo da forma como entendemos hoje. Além disso a nossa missão é entreter, é envolver o público para que a gente leve uma mensagem de alegria também, porque na verdade essa mensagem do Apocalipse é de alegria, é da esperança, de um novo tempo, de um novo Céu, de uma nova Terra, um lugar onde não haverá choro nem ranger de dentes, nem lágrimas, nem tristeza, mas só de alegria e de paz.

Relacionadas