segunda, 20 de maio de 2019
Teatro
Compartilhar:

Espetáculo ‘Como Nasce um Cabra da Peste’ volta nesta quarta-feira

Rammom Monte / 03 de abril de 2019
Foto: Altair Castro/Divulgação
Após dois anos de intervalo, o espetáculo Como Nasce um Cabra da Peste, da companhia paraibana Agitada Gang, volta a ser encenado nesta quarta-feira (3). A apresentação acontece às 19h30, no Teatro Santa Roza e faz parte do Palco Giratório, do Sesc.

Com direção de Eliezer Rolim e dramaturgia de Altimar Pimentel, o espetáculo faz um apanhado das crendices, superstições, costumes e medicinas mágicas empregadas no interior do Brasil rural através da encenação do ritual do nascimento de mais uma criança no árido e hostil mundo da pobreza nordestina pelas mãos de uma parteira – misto de santa e médica. O texto resgata a tradição oral, o esquecimento, o misticismo, a religiosidade sincrética, a luta pela sobrevivência e a doçura do homem do sertão.

A classificação do espetáculo é livre, e a entrada é feita mediante a doação de dois quilos de alimentos não perecíveis, que serão repassados ao programa Mesa Brasil Sesc e doados a instituições filantrópicas.

Como Nasce um Cabra da Peste é um trabalho de resgate da cultura popular. Apresenta um lado da natureza castigada pela aridez. Mesmo com um pano de fundo sério, a peça consegue impor situações alegres.

A proposta foi criar um espetáculo onde pudesse trabalhar com os clowns (personagens antigos do teatro e do circo), que existem naturalmente nos personagens dos atores. Como definiu Eliézer, o espetáculo é uma montanha russa instalada numa planície árida e deserta das cantigas do sertão.

Em 2019, o espetáculo completa 22 anos. Já a companhia fará 31 anos. O elenco é o mesmo desde a estreia da peça. Um dos atores, Edilson Alves, falou sobre a experiência dos envolvidos no ‘Como Nasce um Cabra da Peste’.

“(O que mudou) Foi o corpo dos atores, naturalmente não são os mais mesmos (risos). Mas com isto veio a experiência, o timing na cena, ritmo e o prazer, que é uma coisa que a gente nunca perdeu. O texto sempre o foi mesmo. Mas é claro que a cada apresentação é bem diferente,devido à platéia, ritmo, energia...”, disse.

Apesar de vir de uma trupe de humor e ter nisto a essência do espetáculo, Edilson afirma que a crítica está presente na obra, que é baseada no livro de Mario Souto Maior.

“Tem uma reflexão profunda da miséria nordestina, da solidão, das relações pessoais. É um humor sem anestesia”, descreveu.

Outras atrações. O Palco Giratório 2019 começou no último domingo, em João Pessoa, e vai até o sábado, em Campina Grande. Nesta quinta-feira (4), as atrizes Nara Kelly e Titina Medeiros, da Cia. Casa de Zoé, do Rio Grande do Norte, da ministram gratuitamente em Campina Grande a oficina Estar Atento ou o Exercício da Escuta na Construção do Ator. Será a partir das 17h, no Sesc Centro.

Já na sexta (5), a companhia apresenta no Cine Teatro do Sesc Centro Campina Grande o espetáculo que apresentou domingo, em João Pessoa: Meu Seridó, às 20h. Com direção de César Ferrario e dramaturgia de Filipe Miguez, a estória destaca as características marcantes do sertanejo.

O Palco Giratório já circula pelo país há 15 anos. O projeto busca caminhos além do eixo sul-sudeste para difundir a cultura onde o teatro puder chegar. Esta é a primeira rodada de apresentações de 2019.

Como nasce um cabra da peste

Da Agitada Gang.

Texto: Altimar Pimentel.

Direção: Eliézer Rolim.

Elenco: Edilson Alves, Madalena Accioly, Dadá Venceslau.

Teatro Santa Roza

Classificação: livre

Ingressos: 2kg de alimento não perecível

Relacionadas