sábado, 16 de janeiro de 2021

Cultura
Compartilhar:

‘Suassuna – O Auto do Reino do Sol’ concorre em categorias do Prêmio Shell

André Luiz Maia / 22 de dezembro de 2017
Foto: Divulgação
O prestigiado Prêmio Shell de Teatro divulgou seus indicados a melhores produções do gênero em 2017. Suassuna — O Auto do Reino do Sol, espetáculo sobre o universo do escritor paraibano Ariano Suassuna que conta com vários de seus conterrâneos na produção, levou seis indicações. Em 2018, o prêmio celebra 30 anos de existência.

O espetáculo traz em seu DNA as mentes criativas de paraibanos, desde a dramaturgia, assinada por Braulio Tavares, a direção de Luiz Carlos Vasconcelos e a trilha sonora de Chico César, que trabalhou ao lado de nomes como Alfredo Del Penho e Beto Lemos para musicar letras feitas por Braulio. Todos eles foram indicados em suas respectivas categorias (confira as indicações completas no quadro ao lado).

A história se centra na jornada de uma trupe mambembe que vai até Taperoá para encenar uma peça em homenagem a Ariano Suassuna. No entanto, os obstáculos são muitos e, nessas inserções, são feitas diversas citações a passagens e personagens de obras clássicas do romancista, como Romance d'A Pedra do Reino e Auto da Compadecida, mas também vai mais a fundo, coletando fragmentos de outros espetáculos do autor.

O prêmio, que se divide entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, traz com destaque obras inspiradas em mestres da literatura. Além de Ariano, Guimarães Rosa também é homenageado com a montagem de Grande Sertão: Veredas, com direção de Bia Lessa. O ator Caio Blat concorre ao prêmio de melhor ator, assim como Egberto Gismonti foi reconhecido por seu trabalho na trilha sonora do espetáculo.

Evento

Criado em 1988, o Prêmio Shell de Teatro é ponto de referência nos palcos brasileiros, destacando o principal das produções realizadas no Rio de Janeiro e em São Paulo, oferecendo prêmios separados para cada cidade, distribuídos em nove categorias (Autor, Diretor, Ator, Atriz, Cenografia, Iluminação, Música, Figurino e Inovação). O vitorioso de cada categoria receberá uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni com a forma de uma concha dourada, inspirada no logotipo da Shell, e uma premiação individual de R$ 8 mil.

Em São Paulo, o homenageado da edição 2018 será Ney Latorraca. No Rio, a homenagem será a Hélio Eichbauer por seu trabalho ao longo de mais de 50 anos de renovação da cenografia brasileira. O júri de São Paulo é formado por Evaristo Martins de Azevedo, Lucia Camargo, Luiz Amorim, Maria Luisa Barsanelli e Renata Melo. No Rio, os jurados são Ana Achcar, Ana Luisa Lima, Bia Junqueira, Macksen Luiz e Moacir Chaves.

Relacionadas