quinta, 21 de janeiro de 2021

Show
Compartilhar:

Ney Matogrosso traz novamente a João Pessoa a turnê Atento aos Sinais Ao Vivo

André Luiz Maia / 07 de maio de 2016
Foto: Marcos Hermes /Divulgação
Há quase quatro anos, Ney Matogrosso roda o Brasil com a turnê de seu disco de estúdio mais recente, Atento aos Sinais. Ele veio a João Pessoa em 2014, para uma performance na Domus Hall, e agora, dois anos depois, traz o mesmo show para o imponente Teatro Pedra do Reino, no Centro de Convenções de João Pessoa. Para quem não pôde ver a performance de um de nossos melhores intérpretes, está posta mais uma chance do encontro.

A turnê começou em março de 2013 e, desde então, ele diz que não consegue largá-lo. “Quando eu penso que vou parar, eu tenho uma proposta nova, então não vou cortar essa onda. Semana passada descobri que tenho agenda com ele marcada até novembro desse ano, então ainda vou ficar por um bom tempo circulando”, pontua Ney, em entrevista ao CORREIO.

No repertório, canções do disco homônimo, que traz músicas de compositores com os quais nunca havia trabalhado antes, como Criolo, em “Freguês da meia-noite”, e a banda carioca Tono, em “Samba do Blackberry” e “Não consigo”.

A vontade de trabalhar com artistas mais jovens – e aqui se inserem também Dani Black (“Oração”) e a banda Zabomba (“Pronomes”) – é, de acordo com Ney, algo muito orgânico. “Isso tudo é reflexo da minha maneira de olhar para a música, que é aberta. Os meninos da Tono são crianças, mas eu gostei da ‘Não Consigo’ e aí canto, canto porque gosto e as pessoas adoram”, explica.

O repertório do show, que já tem registro oficial em CD e DVD, chama a atenção por uma “coincidência” interessante. Logo no começo, com as canções “Rua da passagem (Trânsito)” (Arnaldo Antunes e Lenine) e “Incêndio” (Pedro Luís), com forte cunho político, falam sobre a luta por direitos e manifestações das ruas.

Curiosamente, alguns meses após o início da turnê, em junho de 2013, aconteceram os movimentos populares que levaram mais de 1 milhão de pessoas às ruas em todo o Brasil. Ney se diz surpreso com o timing. “Eu fiz o show e quando vi os acontecimentos eu pensei, ‘meu Deus do céu, olha só, tudo tem a ver’. Parecia até que eu fiz para isso, mas não tive intenção. Não tem nada estudado ou premeditado, é tudo muito instintivo”, salienta Ney Matogrosso.

Desde o início da carreira, ainda no grupo Secos & Molhados, sua figura é provocativa e rompe com padrões estabelecidos. “Estar vivo, respirando, neste mundo de ilusão, de loucura, é uma vitória. Não cedo à caretice. É uma resistência natural. Não faço força. Sei no que acredito e no que não acredito, tá? Escolho o que acredito, mesmo que vá contra a maré, que contrarie as expectativas, governos. Não estou preocupado. Tenho de ser coerente comigo. Estou de passagem por aqui, daqui a pouco eu vou embora. Não vou ficar aqui negando a minha vida ou deixar de expor quem eu sou por medo de que me julgarem. É um problema das pessoas. Estou vivendo a minha vida. Que as pessoas vivam as delas. Isso eu não aceito. Não faz parte do que eu sou. Nasci com esse espírito independente que só a morte irá me tirar”, completa.

“ATENTO AOS SINAIS AO VIVO”

Hoje: 21h30.

No Teatro Pedra do Reino (Centro de Convenções, PB-008, km 5 – 99142.5892 – http://www.cecon.pb.gov.br)

Ingresso: R$ 180 (inteira, plateia A), R$ 160 (inteira, plateia B), R$ 120 (inteira, balcão nobre, parte superior do teatro)

Relacionadas