quinta, 19 de setembro de 2019
São João
Compartilhar:

Na festa de São Pedro, cidade de Caiçara celebra sanfoneiros

André Luiz Maia / 29 de junho de 2018
Foto: Divulgação
A pequena cidade de Caiçara, no Brejo, surpreende ao entregar uma quantidade significativa de sanfoneiros de qualidade, autênticos defensores da tradição da música nordestina. Diante disso, a tradicional festa de São Pedro da cidade homenageia estes profissionais da música em sua 29ª edição, realizada nesta sexta (29) e sábado (30).

O evento ganha o tema São Pedro das Sanfonas, colocando o instrumento em evidência. De acordo com o pesquisador Jocelino Tomaz, a cidade possui uma tradição na sanfona que se inicia há décadas atrás e persiste. “A gente tem relatos de sanfoneiros começando a trabalhar por aqui na década de 1920 e até hoje nós vemos nomes que surgem por aqui e ganham o mundo”, pontua.

Caiçara já tinha nomes de relevância na música, a exemplo do maestro Joaquim Pereira (1910-1994), que fez história dentro da música produzida por bandas militares, chegando a conduzir a banda da Academia Militar de Agulhas Negras, em Resende, no Rio de Janeiro. No entanto, os sanfoneiros são o grande destaque da cidade.

Zé do X ganhou notoriedade entre os anos 1960 e 1980, gravando LPs em gravadoras nacionais. “Eu tive a oportunidade de conversar com o grande músico Waldonys, que afirmou que Zé do X é um dos grandes nomes do fole de oito baixos do Brasil”, comenta Jocelino Tomaz.

Adriano José, após anos se dedicando à música secular, decide criar forrós de louvor depois de se converter à religião evangélica.

O Mestre Adauto dos Oito Baixos foi o pioneiro do fole de oito baixos na região de Caiçara, deixando como legado seu filho João e o neto Dudé do Acordeon. João chegou a tocar com nomes de relevância como Dominguinhos, Trio Nordestino e Zé Gonzaga. Já Naninha, outro sanfoneiro de notoriedade na região, fez sucesso no Rio de Janeiro e depois chegou a integrar por muitos anos o Trio Campinense, dirigido por Jonildo Cavalcante, apresentador da Rádio Tabajara.

Outro nome importante para a cultura de Caiçara é Paroara do Acordeon, que abre a programação musical de amanhã. Há muitos anos morando na Bahia, onde chegou a ser considerado o melhor sanfoneiro em atividade no estado em 2011, Paroara já lançou oito CDs, inclusive com participações de nomes como o ator Jackson Antunes e Alcymar Monteiro.

“A gente está planejando fazer um momento bem bonito ao fim do show, reunindo outros sanfoneiros da região para tocar um clássico, ‘Asa branca’ de Luiz Gonzaga”, adianta o coordenador do departamento de Cultura da prefeitura de Caiçara, José Adailton, um dos organizadores da festa.

Paroara é integrante de uma das famílias mais tradicionais em termos de sanfoneiros na cidade, a família Salvador, tendo como um dos símbolos Severino Salvador. “Eu acredito que pelo menos 20 integrantes de várias gerações enveredaram pelo caminho da sanfona, todos ótimos instrumentistas”, comenta Jocelino Tomaz. Durante a festa, o clã também estará representado por Fabinho Salvador. Fabinho já atuou em bandas como Fogo na Roupa e Fubá de Milho, além de tocar com nomes importantes como Amazan e o forrozeiro baiano Del Feliz.

Jocelino Tomaz é um defensor fervoroso da cultura tradicional e, ao fazer esse tipo de pesquisa, coletando informações e promovendo eventos do gênero, acredita estar dando uma contribuição para o fortalecimento de uma cultura autêntica. “Acho que é muito necessário apresentar essa história, um contraponto a esse forró deturpado, com letras que dão péssimos exemplos aos nossos jovens. É uma maneira de combater os malefícios desse tipo de música”, opina o pesquisador.

Relacionadas