quinta, 27 de junho de 2019
São João
Compartilhar:

MPPB determina horário de encerramento do São João de Patos

Wênia Bandeira / 28 de abril de 2018
Os dias de maior movimento do São João de Patos, no Sertão paraibano, poderão ser encerrados às 4h. A decisão foi tomada em audiência pública realizada pelo Ministério Público da Paraíba. Nesses dias, a expectativa é receber 40 mil pessoas. As crianças serão alvo principal da segurança.

O objetivo, segundo o promotor de Justiça, Uirassu Medeiros, é possibilitar a estruturação do serviço para troca de guarda e para reforço dos órgãos que farão a segurança do evento. Ele explicou que todos terão como planejar o número de efetivo que será disponibilizado para a festa.

O São João acontecerá no período de 19 a 24 de junho, no Terreiro do Forró. Do dia 19 ao dia 21, os shows devem ser encerrados às 3h, enquanto nos dias 22 e 23 irá acontecer até às 4h. No último dia, serão realizadas apresentações até a meia-noite.

“Vamos dar também uma atenção maior para as crianças e adolescentes. No ano passado, vimos que as crianças estavam acompanhando os pais que trabalham no Terreiro, isso é algo que é objeto de preocupação, afinal, não é local sadio para um menor estar”, falou o promotor.

Com isso, será repetido o número de dois conselheiros tutelares fazendo a “busca ativa”, mas contará com o apoio de agentes de proteção da sétima vara da Comarca de Patos com o apoio do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas).

“A intenção é otimizar o que foi feito no ano passado para termos a proteção destes meninos como um todo. Vamos buscar por crianças e adolescentes que estão no local da festa nestas condições, mas que também estão sendo vítimas de exploração sexual e consumindo bebidas alcoólicas”, disse Uirassu Medeiros.

O trabalho terá um local especifico dentro do Terreiro e contará com o apoio da Polícia Militar. Todos os pontos de comércio do local terão afixados cartazes e adesivos sobre a proibição da venda e fornecimento de bebidas alcoólicas para o público infantil e adolescente.

“Estamos usando as experiências do ano passado, revendo o que deu certo – para melhorar – e o que deu errado – para consertar. Assim, esperamos fazer anualmente e que todos sigam as orientações da audiência pública”, finalizou.

 

Relacionadas