terça, 24 de abril de 2018
Cultura
Compartilhar:

Paraibano lança cordel com história de personagem de Game of Thrones

André Luiz Maia / 09 de agosto de 2017
Foto: Reprodução
Alerta de spoiler! Alerta de spoiler! A seguir, informações sobre o enredo da sexta temporada da série Game of Thrones. Depois de ser esfaqueado por aliados que jurava serem fiéis a ele, o herói Jon Snow morre. Ele cruza o rio até o inferno, encontra por lá Lampião e... espera um minuto. Lampião? Game of Thrones? Não, não é viagem. É cordel! O poeta, dramaturgo e jornalista Astier Basílio decidiu unir duas de suas paixões: a poesia popular nordestina e um dos seriados de maior repercussão dos últimos cinco anos.

A aventura é descrita em um cordel com trinta estrofes, resultado da união do roteiro original da aventura baseada n'As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R. R. Martin, diversas referências a clássicos da literatura nordestina e, claro, a inventividade de Astier. Da real e quente Serra Talhada à fictícia e gélida Winterfell, as referências são muitas. "Eu mesclei as informações que a própria série dá com elementos de A Chegada de Lampião no Inferno, um cordel clássico de José Pachêco, A Divina Comédia, de Dante Alighieri... É uma fanfic em formato de cordel", explica. A capa ainda é referência ao filme Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964), de Glauber Rocha.

O relato é contado sob o ponto de vista de um mestre que recebeu informações dessa lenda da ida de Jon Snow ao inferno através de corvos, principal meio de comunicação no universo do seriado. No cordel de Astier, vemos Jon interagir com figuras do folclore nordestino, como Lampião e Cumade Fulozinha, e personagens da história original, como o pai do herói, Ned Stark, morto na primeira temporada. Além de Astier, na Paraíba também escrevem cordel Janduhi Dantas, Silas Silva, José Costa Leite, Marco di Aurélio, dentre outros. Oliveira de Panelas, um cantador que também está publicando cordéis, apresenta nova obra até o fim do ano. Outro nome é o piauiense, radicado na Paraíba, Beto Brito.

Ao CORREIO, falou sobre novo trabalho em forma de cordel. "Eu estou sempre escrevendo / inventando, pois adoro / criar casos e canções / quando chamam, não demoro /meu projeto nesse instante / é um livro interessante /chama-se Cordel Sonoro / Livro e disco num só corpo / para ler, para escutar / destinado para quem / nunca pode apreciar / a leitura no seu tempo / pra não ter mais entretempo / vem para alfabetizar".

No Portal Correio, o repórter Rammom Monte recentemente e com coragem se arriscou contar a história do cordel... em formato de cordel! Veja em https://goo.gl/ SSNccY

Relacionadas