domingo, 28 de fevereiro de 2021

Cultura
Compartilhar:

Orquestra Sanfônica ‘Balaio Nordeste’ faz apresentação no Teatro Paulo Pontes

André Luiz Maia / 15 de julho de 2017
Foto: Divulgação
A Orquestra Sanfônica Balaio Nordeste tem como principal missão enaltecer as riquezas da cultura nordestina. No início do mês de junho, mais precisamente no dia 3, eles gravaram um registro do show Em Ritmos de Nordeste, com convidados especiais, que se reverterá em um DVD. A apresentação aconteceu no Teatro Santa Roza e, por conta do tamanho do pequeno e charmoso teatro, muita gente não pôde conferir a performance. Mas eles estão de volta para suprir essa carência.

O grupo faz outra apresentação hoje, agora em um espaço maior: o Teatro Paulo Pontes. Antes, nomes como Cezzinha, Irah Caldeira, Pinto do Acordeon, Silvério Pessoa e Yuri Carvalho foram os convidados. O time da performance desse sábado também é de peso: Os Gonzagas, grupo que apresenta uma releitura jovem do forró, e Adeildo Vieira e Nathalia Bellar, que no domingo passado participaram do tributo a Belchior realizado no Espaço Cultural.

"Juntamos o útil ao agradável. Nossa orquestra conta com a parceria de vários colegas cantores e, devido à demanda grande do primeiro show, decidimos fazer essa nova edição", comenta o maestro Lucílio Souza, regente da orquestra. Ele adianta que deverão ter mais duas performances similares até o fim deste ano.

No repertório, como não pode deixar de ser, muito forró, um ideal musical e – por que não? – político. "As polêmicas que cercaram o gênero durante os festejos juninos residem muito no campo comercial. A orquestra se concentra na valorização da nossa própria cultura. Queremos levar para as novas gerações a riqueza da música produzida por aqui", pontua o maestro Lucílio, regente da orquestra.

Adeildo Vieira deve cantar algumas de suas músicas autorais, mas também apresenta algumas composições de Antonio Barros e Cecéu. Nathalia Bellar também deve cantar canções da dupla, além de "Feira de mangaio", de Sivuca. Os Gonzagas cantam Luiz Gonzaga e composições de outro ícone da música nordestina, Flávio José.

Origens e perspectivas. A Orquestra Sanfônica Balaio Nordeste surgiu em 2010. Tudo começou com uma oficina de acordeon ofertada por uma parceria entre a Associação Balaio Nordeste e a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). As turmas formadas pelo curso foram se fortalecendo e a orquestra veio como uma consequência natural do trabalho realizado em sala de aula.

Atualmente, sob o comando do Maestro Lucílio, o grupo é formado por Rodrigo Pereira, Marie Claire Heinis, Lucas Daniel, Francismar Caju, Geo Moura, Geraldo Junior, Nívea Maria, Katiusca Lamara, Saulo Bahia, Ely Porto, Benni Enderson e Marcos Júnior.

Recentemente, a Orquestra Sanfônica Balaio Nordeste participou do Festival de Internacional de Música en Cerro Colorado, o Festifolclor, em Arequipa, no Peru. Não foi a primeira vez que o grupo participou de um evento internacional: em 2016, eles foram à França para participar da programação do Festival Le Printemps des Bretelles, que reúne grupos dedicados à sanfona de todo o mundo.

A partir de setembro, eles fazem uma circulação por outras cidades. "A gente vai tocar em Sousa, no interior do estado, e em cidades como Juazeiro do Norte e Fortaleza", adianta o maestro Lucílio.

Relacionadas