segunda, 18 de janeiro de 2021

Cinema
Compartilhar:

‘O Homem que Caiu na Terra’ volta ao cinema amanhã

Renato Félix / 10 de fevereiro de 2017
Foto: Divulgação
Pouco mais de um ano após a morte de David Bowie, seu fãs paraibanos podem reencontrá-lo no cinema a partir de amanhã. É a re-estreia de O Homem que Caiu na Terra (1976), que voltou ao cinema este ano e tem Bowie como um alienígena na Terra. O filme entra em cartaz amanhã no Cine Banguê, em João Pessoa.

O filme é um dos pontos mais memóraveis da faceta de Bowie como ator (que teve outros pontos altos, como Furyo - Em Nome da Honra, 1983, Fome de Viver, 1983, Labirinto, 1986, e A Última Tentação de Cristo, 1988). Ele interpreta um alienígena humanóide que vem à Terra para conseguir água para salvar seu planeta.

Porém, ele precisa construir a nave que o levará de volta e se disfarça de empresário para conseguir o dinheiro. E usa sua tecnologia avançada para enfrentar a competição no mundo dos negócios.

Bowie chegou até a ganhar um prêmio de melhor ator pelo filme: o Golden Scroll, da Academia de Cinema de Ficção Científica, Fantasia e Horror, sediada nos Estados Unidos.

A direção é de Nicolas Roeg, cineasta londrino de filmes muito particulares como Performance (1970, com Mick Jagger), Inverno de Sangue em Veneza (1973) e até o infantil Convenção das Bruxas (1990).

Peter O'Toole, Robert Redford e até Mick Jagger foram considerados para o papel principal em algum momento. Bowie surgiu quando Roeg o viu no documentário Cracked Actor (1975) e o escalou o roqueiro camaleão para seu primeiro papel importante no cinema.

Movido a cocaína (usando 10 gramas por dia, Bowie disse depois) e sem saber direito o que estava fazendo por causa da narrativa confusa. O filme não é uma ficção científica de ação, como é mais comum. A fortuna crítica aponta o ritmo lento e a trama cheia de mistérios. E a postura do personagem de Bowie, de quem não está tão interessado na raça humana e estranha a sociedade de excessos e esquisitices que ele encontra.

Relacionadas