sábado, 06 de março de 2021

Cultura
Compartilhar:

Novo programa da Record TV estreia terça-feira

Redação / 27 de junho de 2017
Foto: Divulgação
O que vai acontecer quando 100 desconhecidos são desafiados a  conviver juntos numa casa projetada para comportar apenas quatro pessoas? Essa é a proposta do novo reality show da Record TV "A Casa", apresentado por Marcos Mion, que estreia nesta terça-feira, logo após o Jornal da Record.

O novo reality será apresentado duas vezes por semana, nas terças e quintas-feiras às 22h30.

Um conceito totalmente inédito na televisão brasileira onde os participantes ficam confinados de portas abertas. Isso mesmo! Quem quiser, pode desistir do jogo a qualquer momento. Mas apenas o último a sair é quem levará o grande prêmio do programa.

O grande diferencial é que quem administra o prêmio inicial de R$ 1 milhão são os próprios participantes.

Os mantimentos da casa são suficientes apenas para uma pequena família e eles é quem vão determinar o que é necessário comprar para sobreviver dentro da casa.

Cada participante entra na casa apenas com uma caixa contendo seus pertences pessoais.

Todos os dias, eles receberão suprimentos para apenas quatro pessoas.

O que promete ser ainda mais polêmico é a forma como o programa se desenha. Não existe votação popular.

O líder da semana é quem decide quem vai ser o eliminado. Ele pode, inclusive, eliminar não apenas um participante, mas sim vários de uma vez, o que explica o grande número de pessoas na atração.  Com essa premissa básica, o objetivo dos competidores é eliminar o maior número de adversários o mais rápido possível. Logo no primeiro dia, elege-se um líder, que organiza o trabalho e decide como gastar o dinheiro do prêmio.

O líder recebe três caixas e escolhe uma delas. O número que estiver dentro (acima de dez e abaixo de 25) indica a quantidade de eliminados. Os escolhidos são expulsos da casa aos berros de "get the fuck out of my house".

A Casa temdireção-geral de Rodrigo Carelli, o homem dos reality shows da Record.

Pra quem gosta de ver gente sofrendo e passando apertado, nunca se produziu nada parecido.

Relacionadas