terça, 11 de maio de 2021

Música
Compartilhar:

Zélia Duncan é a principal atração da noite em Campina Grande

André Luiz Maia / 23 de agosto de 2018
Foto: Divulgação
O 43º Festival de Inverno de Campina Grande se encerra hoje à noite com uma série de atrações artísticas. A cantora e compositora fluminense Zélia Duncan é a principal atração da noite, com um show ao lado de sua banda em praça pública. A Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) também se apresenta, mas a performance deve acontecer em um igreja no bairro Catolé. A programação completa pode ser acessada em http://festivalcampina.com.br.

Zélia é uma artista múltipla, não estando satisfeita em se limitar a um projeto. Depois de um elogiado disco de samba, Antes do Mundo Acabar, ela se lançou em um projeto que reverencia clássicos da MPB com roupagem diferente. Invento+, em parceria com o conceituado Jaques Morelembaum, surge como um show em 2015, trazendo consigo releituras em voz e violoncelo para composições de Milton Nascimento, uma das pedras fundamentais da música brasileira. No ano passado, o projeto virou um disco.

Paralelo a isso, ela está circulando pelo Brasil com seu show O Lado Bom da Solidão, no qual ela desnuda suas próprias composições e as apresenta em formato acústico, apenas ela e o violão, em um show formatado para os teatros. Como a performance em Campina Grande será em plena Praça da Bandeira, ela decide mudar seu roteiro e apresentar Zélia Duncan, um show com seus grandes sucessos, acompanhada de sua banda habitual.

Sobre o show de hoje à noite, Zélia contou ao CORREIO que o público pode aguardar muita alegria. “Vou levar festa, alegria de estar na Paraíba, vamos com tudo pra cantar junto, pensar junto, como eu gosto e minha galera também”, disse.

No repertório desta apresentação, os campinenses poderão esperar sucessos de sua carreira, como Alma”, “Catedral”, “Não vá ainda” e “Tudo sobre você”, além de canções novas e interpretações de outros compositores. Para quem queria alguma canção do Invento+, projeto em que Zélia canta composições de Milton Nascimento em parceria com Jaques Morelenbaum, uma má notícia: não haverá nenhuma música do projeto no repertório.

Sobre o projeto Inverno+, Zélia explicou que a ideia surgiu “de um convite de André Midani, que tinha um projeto, chamado Inusitado. Então eu tive essa ideia, de cantar sem instrumento de harmonia e um repertório importante para a minha formação. Virou disco, mas eu nem sabia que seria assim. Cantar com Jaques é uma honra”.

O projeto, inclusive, é mais um exemplo da disposição em experimentar de Zélia Duncan. “A palavra é ‘liberdade’. Uma liberdade construída. Pago meus preços, não estou sempre muito em evidência, mas trabalho duro e meu público sabe disso, porque tudo é pra eles, para que conheçam coisas diferentes e ampliem seus horizontes, como tento fazer com os meus”, enfatizou.

Orquestra. Quinta também é dia de orquestra para os campinenses. A Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) faz mais um de seus concertos com regênccia do maestro titular Luiz Carlos Durier. No repertório, peças dos brasileiros Alberto Nepomuceno e Radamés Gnattali, além de composições do francês Charles Gounod e do mexicano Arturo Marquez.

A “Série Brasileira - Batuque”, de Alberto Nepomuceno (1864 – 1920), abre o concerto. Na sequência, os músicos da Orquestra Jovem tocam a “Seleção do Ballet Fausto (Dança dos Escravos Núbios, Dança Antiga, Variações de Cleópatra, Os Troianos, Variações do Espelho e Dança de Frinéa)”, do compositor Charles Gounod (1818 – 1893).

A execução da “Sinfonia Popular nº 1”, de Radamés Gnattali (1906 – 1988) vem em seguida. Encerrando a noite de música erudita no Festival de Inverno, o público vai conferir a composição “Danzon n°2”, de Arturo Marquez (1950).

Luiz Carlos Durier ficou bastante conhecido nos últimos anos por seu trabalho com a Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB), onde assumiu o cargo de maestro titular em 2013, mas foi na OSJPB que construiu boa parte de sua carreira, dedicando 20 anos de sua vida na formação de jovens músicos de câmara.

Como regente convidado, conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife, dentre outros tantos trabalhos.

PROGRAMAÇÃO

ZÉLIA DUNCAN

Hoje, às 21h

Praça da Bandeira (Centro, Campina Grande)

Entrada franca

ORQUESTRA SINFÔNICA JOVEM DA PARAÍBA

Hoje, às 19h

Santuário Sagrado Coração de Jesus (R. Luís Sodré Filho - Catolé, Campina Grande)

Entrada franca

Relacionadas