segunda, 18 de janeiro de 2021

Música
Compartilhar:

Um Caymmi contemporâneo: Danilo canta músicas do pai em versões modernas

Kubitschek Pinheiro / 26 de abril de 2016
Foto: Divulgação
A ideia de Danilo Caymmi era lança o CD “Don Don” apenas nas plataformas digitais. E funcionou, até veio que a sacada do produtor musical Marcelo Froes e fez com o digital virasse físico com o selo da sua Discobertas. Um disco contemporâneo que enche nossos ouvidos de um Dorival Caymmi cada vez mais vivo na memória da musica brasileira.

“É isso mesmo, um disco contemporâneo, mas a ideia era essa, ficar digital, mas tem as exigências do público. Muita gente queria o CD nas mãos, mas as gravadoras disseram que como o CD já era digital não dava para investir no físico. Graças a Marcelo Froes, o CD agora existe e ficou muito bom”, disse Danilo em entrevista ao CORREIO.

Segundo o artista, “Don Don” surgiu bem antes - das conversas com o pianista Arthur Verocai que é violonista, compositor, arranjador e maestro brasileiro, muito conhecido no hip hop de São Paulo e de Los Angeles. Essa pegada contemporânea casou em cheio com o baixista Bruno Di Lullo e do baterista Domenico Lancellotti. Os músicos são os produtores do álbum de Danilo Caymmi, que ainda conta com artistas como Moreno Veloso, Sílvia Braga, Celina Kushnir, Luana Carvalho, Pedro Sá, Cláudio Andrade, Zero Tellesa Marlon Sette e Felipe Pinaud.

“O Domenico já tinha tocado comigo nos anos 90. Ele tinha 19 anos, é bom baterista. Eu inclusive canto e toco flauta nesse disco. Na verdade, quando nos reunimos, eu disse a eles que tudo ficaria a cargo deles, até a escolha das canções, eu apenas iria lá gravar e tocar flauta e assim foi”.

“Don Don” a canção que dá nome ao disco, é uma raridade do repertório de Caymmi então inédita, parceria do compositor baiano com o paraibano Assis Chateaubriand (1892 – 1968). Ele conta: “Essa história está num documentário, uma entrevista com meu pai, que está sub judice. Lá ele canta um pedaço dessa música. Eu mandei esse trecho da entrevista para Dori (seu irmão, músico que mora em Los Angeles), e ele conseguiu com a letra recuperar a canção, que é muito bonita”, disse.

“Don Don” que é a décima faixa do CD, aparece o coro e palmas de Pedro Baby, Domenico Lancellotti, e Moreno Veloso que, além de fazer coro, usa a faca no prato lá do recôncavo de Dona Edite do Prato.

O CD abre com “Lá vem a baiana” e já se tem a certeza que o disco é um clássico com interferências eletrônicas. E como não poderia faltar, já na segunda faixa vem “Dora” que começa devagar, mas logo cresce com o movimento dos músicos. “Das rosas”, a terceira faixa, que foi gravada por Sarah Vaughan no disco “O som brasileiro” de 1978, no CD de Danilo aparece mais festiva, sofisticada. “É verdade, eu não tinha pensado nisso. Mas tem sim algumas modificações de harmonia. Essa, os caras foram lá beber na fonte original. Ai, meu amigo Arthur Verocai é responsável pelo arranjo de cordas”, disse. A sétima faixa “Nunca mais”, ele canta com Ana Cláudia Lomelino, vocalista do Grupo Tono e que acaba de lançar o primeiro solo “Mãeana”.

Essa não é a primeira vez que Danilo canta com a filha Alice Caymmi (filha de seu casamento com Simone Caymmi). Nesse disco os dois interpretam “Canção da noiva” “Olha, Alice canta desde pequena. Ela participou do DVD Família Caymmi com três anos. Essa canção que cantamos juntos, ela foi tirar do disco “Caymmi visita Tom”, de 1964 e quem canta lá essa canção é minha mãe Stella Caymmi, é a única vez que ela cantou num disco de meu pai”

Em “Requebre que eu dou um doce” - a nova faixa, Domenico Lancellotti toca bateria, synth e faz o coro. Bruno Di Lullo no baixo, Pedro Sá no violão e guitarra, Cláudio Andrade no wurlitzer, Zero Telles na percussão e Danilo Caymmi canta e toca flauta.

Este disco lembra Danilo, encerra as comemorações do centenário de nascimento de seu pai que ainda tem canções emblemáticas como “O que é que a baiana tem?”, “Vatapá”, e “Nem eu”. “Sim, o CD encerra esse ciclo. A nossa ideia era gravar um DVD, um documentário e tem um balé que vai sair por um grupo de Fortaleza, mas com a crise.....”.

Muita saudade de seu pai? “Olha tenho saudade do humor dele, que estava sempre rindo e cheio de histórias, não a falta física, mas da pessoa. Meu pai cumpriu seu missão. Minha mãe também”.

Novidades para 2017? “Tem um disco já gravado coma participação da cantora norte americana Stacey Kent. O resto eu não posso contar...”, disse rindo.

Don Don - Danilo Caymmi canta Dorival

Artistas: Danilo Caymmi, Bruno di Lullo e Domenico Lancelotti.

Gravadora: Discobertas

Preço: R$ 24,90

Relacionadas