segunda, 17 de junho de 2019
Música
Compartilhar:

Totonho, Nathália Bellar e Banda Fôrra fazem shows na Paraíba nesta sexta

André Luiz Maia / 28 de dezembro de 2018
Foto: Reprodução
A última sexta-feira de 2018 traz para os pessoenses pelo menos três shows dignos de nota para quem gosta de música feita por paraibanos. Nathalia Bellar, Banda-Fôrra e Totonho fazem performances hoje à noite, com propostas distintas e com repertório para gostos variados.

É bom lembrar que 2018 não foi um ano prolífico em lançamentos, mas não passou em branco. Diversos artistas, como os três protagonistas da noite e outros como Vieira também mostraram novos materiais, circularam por várias partes do país e também se envolveram em experiências artísticas.

Em busca de paz

Nathalia Bellar confessa que ficou um pouco assustada com o desenrolar de 2018, especialmente o segundo semestre, com a corrida eleitoral se intensificando. O clima bélico que se instaurou entre as pessoas, virtual ou pessoalmente, a espantaram. No entanto, qual seria o resultado disso tudo para um artista? Fazer arte, é claro.

Em resposta ao ódio, Nathalia decidiu optar pela via do amor, traduzido no show Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor, no qual tece um repertório com canções próprias, de colegas da cidade e do cancionceiro popular nacional centradas nessa temática.

“Estamos vivendo um momento de muita carência afetiva. Passamos por um período eleitoral muito conturbado, mais que o normal. (...) Não existe sentimento mais completo no mundo que o amor, não é só uma palavrinha de quatro letras, que norteia grandes poetas e compositores, é um fio condutor da vida. (...) Uni meu desejo de fazer um show de fim de ano, com boas energias para esse novo ano que vai entrar, à vontade de fazer o show n'A Budega e ao desejo de cantar algumas canções que fazem parte da minha vida”, enfatiza a cantora, ao explicar o mote de show.

Em uma performance que fala sobre afetos, trazer amigos e parceiros musicais para o palco era inevitável. No show de hoje, Maria Alice, Adeildo Vieira e Allan Pessoa dividem momentos com Bellar.

“São pessoas muito especiais para mim. Maria Alice é o amor em pessoa e vem fazendo um trabalho muito bonito. Adeildo é um mestre para mim, um artista sem igual, que aprendi a admirar cada vez mais. Allan é um irmãozinho que a música que me deu, um excelente cantor. Temos uma relação de amor, mesmo”, conta Nathalia.

Este ano, ela participou do reality show The Voice Brasil, apresentando-a para outros públicos. “Eu já era cantora e sabia o queria fazer antes dessa experiência, mas foi um momento muito importante para a minha carreira, que me abriu muitas janelas”, conta a artista. Ela também apresentou em 2018 pela primeira vez uma música de seu primeiro disco, Catavento, chamada “Menina”.

A ideia era lançar o álbum no fim deste ano, mas uma série de contratempos acabaram postergando a finalização do trabalho para 2019. “Também teve a chegada de Rodrigo Campello. Já havia trabalhado com Jader Finamore, que produziu ‘Menina’, mas decidimos reestruturar tudo”, completa.

Caminhada

Quem também teve um ano agitado foi a Banda-Fôrra. O grupo formado por Guga Limeira, Matteo Ciacchi, Hugo Limeira e Lucas Benjamin encerra o ano com o derradeiro show do projeto Banda-Fôrra de Bolso, após intensa atividade, incluindo shows em festivais prestigiados como o Bananada, em Goiás.

Lucas Dourado é o convidado da edição, que deveria ter acontecido no mês passado. “Lucas tem relação antiga conosco. É meu parceiro em A Troça Harmônica e, quando ele estava circulando com o show de seu disco, Motor Misterioso, a banda que o acompanhava era a Banda-Fôrra. Será uma alegria muito grande encerrar este ano ao seu lado”, comenta Guga Limeira, vocalista da Banda-Fôrra.

O grupo começou em 2014 e no ano seguinte apresentou um EP de cinco faixas, conquistando um público fiel. No início deste ano, logo em janeiro, veio Trilha, o primeiro disco cheio, com oito músicas inéditas, que deram origem a uma série de clipes de dança, disponíveis no canal do YouTube da banda, que também lançou um videoclipe de fato para a faixa “Apego”.

Guga destaca 2018 como um momento de amadurecimento do grupo. “A turnê pelo Sudeste e Centro-Oeste foi uma loucura, mas também uma riqueza. Quando a gente produz e vive fora do nosso eixo, a gente fica por fora desse grande circuito. Ao chegarmos nesses grandes centros, percebemos a potência de nos comunicar com outros públicos”, salienta o artista.

Pulsante

Totonho apresenta hoje pela primeira vez em João Pessoa seu álbum mais novo, Samba Luzia Gorda, primeiro lançamento do paraibano desde o EP Côco Ostentação, em 2015, e o primeiro álbum cheio desde Sabotador de Satélite (2006). Para Totonho, um momento que expande a experiência do disco. “Tem certos elementos sonoros que passamos muito tempo cozinhando e que as pessoas não notaram ou deram atenção, quero mostrar isso no ao vivo”, comenta o artista.

Em 2019, Totonho deve levar seu trabalho para a Europa, retomando um circuito pelo qual não transitava há pelo menos uma década.

Relacionadas