quarta, 02 de dezembro de 2020

Música
Compartilhar:

Paraibana Socorro Lira lança primeiro DVD: ‘Amazônia – Entre Águas e Desertos’

André Luiz Maia / 07 de fevereiro de 2016
Foto: Divulgação
O brasileiro, para a cantora e compositora paraibana Socorro Lira, precisa entender o que há de amazônico dentro de si. Mais que isso, entender que não há distinção entre humano e natureza. Entender a riqueza de nossas matas e notar tudo o que está contido no silêncio do Brasil profundo, engolido pela máquina do progresso e da celeridade. Sobre estas bases, está o DVD Amazônia – Entre Águas e Desertos, originado de um CD de mesmo nome lançado em 2014.

Primeiro registro em DVD de sua carreira de quinze anos, o show escolhido para a gravação foi o do Auditório Ibirapuera, durante o lançamento do CD homônimo, em julho de 2014, com direção artística de Elifas Andreato, que assina também a arte gráfica do projeto. Os arranjos e a direção são do pernambucano Jorge Ribbas.

O trabalho surgiu como uma provocação de seu parceiro, o educador empresarial Roberto Adami Tranjan, que havia escrito um romance de negócios, intitulado O Devir, parte dele ambientado na Amazônia. “Durante um evento em sua empresa, ele cantou a bola para que eu fizesse um disco com a temática amazônica. Meio na brincadeira, mas decidimos levar adiante”, explica Socorro Lira.

A compositora não está acostumada a trabalhar “a toque de caixa”. A proposta, lançada em agosto, é que até o final daquele ano o disco estivesse pronto. Para dar conta, optou por mesclar algumas de suas canções autorais com músicas de compositores da região ou que cantassem as temáticas relacionadas à floresta, fugindo de lugares-comuns dos quais muitos já estão habituados a ouvir quando se referem à Amazônia. Da Paraíba, extraiu duas músicas: “A saga da Amazônia”, clássico de Vital Farias, e “Porque é da natureza”, uma parceria de Cátia de França e Abel Silva.

Socorro tinha em mente contemplar alguns aspectos que ela enxerga como essenciais para falar sobre a maior floresta tropical do mundo. “A Amazônia enquanto sujeito, rica em beleza, recursos naturais, está em músicas como ‘Gaia’, que fala do privilégio de termos algo tão rico. Mas também há a Amazônia enquanto objeto, que foi explorada e depredada, exemplificada na canção de Vital”, comenta. A artista também lembrou das lendas da floresta, recorrendo ao repertório de Waldemar Henrique, em “Tamba-tajá” e “Uirapuru”, e do batuque nortista, na música “A dança”, parceria de Socorro Lira com o compositor paraense, radicado no Amapá, Joãozinho Gomes.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas