quinta, 24 de janeiro de 2019
Música
Compartilhar:

Maestro João Linhares é o convidado do Quinteto Uirapuru nesta quinta-feira

André Luiz Maia / 19 de dezembro de 2018
Foto: Divulgação
De mãos dadas com a produção musical paraibana, o Quinteto Uirapuru dá continuidade ao seu projeto Ninho Uirapuru, que convida artistas locais para uma performance conjunta, em que o grupo de cordas propõe arranjos camerísticos para compositores e intérpretes do estado. A performance desta quinta-feira (20), dentro da programação do Palco Aberto, do Café da Usina Cultural Energisa, é com o compositor e maestro João Linhares.

À frente de orquestras como a Sinfônica da Paraíba e a Jazz Sinfônica de São Paulo, contribuiu com as obras de Lenine, Rosa Passos, Johnny Alf, João Donato, Flavio Venturini, Joyce, Kid Abelha, entre outros. João Linhares também atua na direção musical para grupos de corais, espetáculos de balé, tango, jazz e orquestras de frevo.

Ele decidiu abrir seu baú de canções ao entrar em contato com o Quinteto Uirapuru e propor um projeto. “Ele nos assistiu em uma apresentação e falou que estava com um material novo. Na hora, veio o estalo de convidá-lo para o Ninho. O fato dele ter o material todo pronto foi um facilitador, pois além de um compositor popular, ele é um músico erudito, trazendo as partituras, os arranjos feitos”, afirma Rucker Bezerra, primeiro violino do quinteto.

A maioria das canções, muitas delas inéditas, foram compostas há mais de duas décadas, algumas delas gravadas por artistas de projeção nacional como Zizi Possi, Rita Benneditto, Juca Novaes e Luiz Pié. Com esse show ao lado do Quinteto Uirapuru, João Linhares quer apresentar aos paraibanos sua produção autoral de música popular. Rucker destaca a riqueza dessas canções, que eleva João a um status muito singular.

“Ele traz um refinamento harmônico, que foge absolutamente do trivial. Tem vezes que a gente ouve uma música e, pelas estruturas da composição e do arranjo, a gente já sabe que caminhos ela vai percorrer. Com João não, é totalmente imprevisível, mas ele faz isso com uma beleza extrema”, pontua o músico. Além de Rucker, o Quinteto Uirapuru também é composto por Rodrigo Eloy (segundo violino), Paulo França (viola), Leonardo Semensatto (violoncelo) e Hercílio Antunes (baixo).

Essa turma vem estudando o repertório de João Linhares com afinco. “É desafiador por ser um show completo, com músicas novas e difíceis de serem executadas, já que João tem um rebuscamento grande na hora de compor. Ao mesmo tempo, esse nível muito alto nos motiva muito para ensaiar. Às 8h de um domingo, estávamos todos juntos ensaiando para deixar tudo bonito”, relata Rucker Bezerra. A ideia é que esse show seja o primeiro capítulo de um projeto maior, com planos futuros de uma gravação em áudio e vídeo.

Outra novidade dessa apresentação é a participação especial do baterista paraibano Guegué Medeiros. Radicado há 15 anos em São Paulo, desenvolve trabalhos como instrumentista e produtor musical na Lamparina Rosa, com significativa atuação na cena musical paulista. “Guegué é um músico excepcional, que leva o nome da Paraíba para outros lugares. A gente já havia feito trabalhos juntos. É muito bom tocar música com amigos, mas é melhor ainda quando esses amigos são músicos fantásticos e excepcionais em suas áreas", afirma Rucker.

Ninho

A ideia de se aproximar dos artistas paraibanos que define o Ninho Uirapuru surge em 2017, mais especificamente com o tributo ao cantor e compositor Belchior. Na ocasião, o Quinteto Uirapuru reuniu em torno de si um time de peso da música paraibana. “A gente habitualmente não tinha contato com essas pessoas e aquele concertou nos ajudou a perceber que aquilo poderia render frutos”, comenta Rucker Bezerra. Com isso, veio a ideia de realizar uma série de concertos, dando uma roupagem “à la Uirapuru” às canções de compositores locais.

O primeiro deles foi com Jonathas Falcão. O líder da banda Seu Pereira e Coletivo 401 é respeitado e reconhecido entre os músicos paraibanos por sua competência enquanto compositor e isso ficou ainda mais em evidência com o show do lado do quinteto. Para o futuro, eles pretendem realizar mais parcerias. “Já temos na agulha projetos com Nathalia Bellar, Sandra Belê, André Morais, dentre outros nomes. A Paraíba é muito rica musicalmente e queremos demonstrar isso com o projeto”, completa o violinista.

 

Relacionadas