terça, 20 de abril de 2021

Música
Compartilhar:

Legítima representante da bossa nova, Wanda Sá reencontra amigos para novo disco

André Luiz Maia / 15 de novembro de 2016
Foto: Divulgação
O novo disco da cantora Wanda Sá, dona de uma das vozes mais suaves e consistentes da bossa nova, é, sob o ponto de vista da própria cantora, uma “reunião entre amigos”. Cá entre Nós surge 52 anos após seu primeiro disco, Vagamente.

Da mesma forma que em 1964, o disco mais recente contou com diversas composições de parceiros musicais. No entanto, nada foi intencional. “As pessoas estão fazendo essa conexão com o Vagamente, mas realmente foi algo muito orgânico e espontâneo, não tive a intenção de fazer essa referência ao primeiro disco”, esclarece a cantora, em entrevista ao CORREIO.

Mas, assim como no CD inicial, o músico Roberto Menescal teve uma forte presença no novo trabalho, a começar pela música que deu título ao projeto. “A primeira coisa que fiz foi ligar para o Menescal e saber se ele tinha alguma música precisando de letras. A gente já tem cinco músicas juntos e, com ele, eu tenho a liberdade de ir fazendo os poucos. Ele gostou do título da música, ‘Cá entre nós’, que acabou virando o título do disco e, a partir daí, fui procurando os amigos para gravar músicas deles”, explica.

A lista é invejável, passando por nomes como Nelson Faria, Ricardo Silveira, Carlos Lyra, Chico Batera, João Donato e Ivan Lins. É de Ivan, em uma parceria com Celso Viáfora, a música que abre o disco, “Rio de maio”, uma grata surpresa como faixa inicial. Na letra da canção, como o próprio título sugere, nos conduz em um passeio por um Rio de Janeiro diferente do que habitualmente é retratado em filmes, novelas, livros e canções, o Rio nebuloso da época chuvosa próximo ao meio do ano.

“Sou apaixonada por essa música desde a primeira vez que ouvi, há alguns anos atrás. Fui estudando a melhor maneira de gravá-la, tocando com meu pianista até aprender, pois é uma canção difícil. É um outro olhar sobre o Rio, em um trecho fala das folhas caindo no Jardim de Allah... Essa música poderia ser trilha de um filme”, comenta, empolgada.

Um dos grandes destaques do disco é a interpretação de Wanda Sá para “Fora de hora”, parceria de Dori Caymmi e Chico Buarque. Acompanhada apenas pelo piano, o desafio é transmitir as nuances da canção utilizando apenas sua bela voz. “Ouvi essa música há muito tempo atrás. Resgatei para esse novo trabalho e apresentei para meu pianista, Adriano Souza, que fez uma verdadeira obra de arte naquele arranjo”, ressalta Wanda Sá.

Relacionadas