segunda, 08 de março de 2021

Música
Compartilhar:

Fronteira inexistente: Moska fala do disco que gravou com Fito Paez

Kubitschek Pinheiro / 07 de outubro de 2015
Foto: Jorge Bispo/Divulgação
Locura Total. Isso mesmo, sem o primeiro “u”. É nome do novo álbum gravado pelo cantor e compositor carioca Paulinho Moska com o também cantor e compositor argentino Fito Paez, festejado artista portenho. É, portanto, “loucura” em espanhol. O disco está sendo lançado nas lojas da Argentina e do Brasil.

Fito Paez já possui uma relação próxima com os músicos brasileiros.Gravou com Caetano Veloso, Chico Buarque, Paralamas do Sucesso e Titãs. Mas é a primeira vez que divide um disco.

Fito e Moska se conheceram há exatamente um ano no Rio de Janeiro e não se desgrudaram mais. “Quando a gente se conheceu, eu já gostava muito do trabalho dele, que é um super pianista. Dai começamos logo a pensar nesse projeto, um disco bonito que uniu nossos pensamentos e melodias”, afirma Moska ao CORREIO, por telefone. “Um artista completo que faz música com uma facilidade tremenda”.

Moska e Fito ficaram de lá pra cá: Moska ia a Buenos Aires e Fito vinha para o Rio e, nessa “locura”, nasceu o disco. “Eu fui três vezes a Buenos Aires e levava algumas letras. Nos encontrávamos na casa dele e adiantávamos esse trabalho. E ele vinha ao Rio e completávamos a nossa produção”.

Produzido por Liminha, Locura Total foi gravado no Rio, Buenos Aires e Miami. O ganhador do Grammy, Gustavo Celis, mixou o disco em Miami. Ele foi masterizado por Tom Coyne no Sterling Sound de Nova York (o cara dos discos de Adele, Mark Ronson e Beyonce).

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas