domingo, 15 de julho de 2018
Música
Compartilhar:

Filipe Fiákra leva composições de Antônio Barros e Cecéu para Brasília

José Carlos dos Anjos Wallach / 28 de maio de 2018
Quando Cecéu escreveu e a rainha Marinês gravou “Desabafo” (1982), passaram mensagem clara contra rejeição e o preconceito e pela liberdade. Foram versos como “Ser um ser humano/ Sem tabu, sem preconceito/ Ser errado, ser direito/ Acreditar e não ter fé” que atrairam, quase três décadas depois, o jovem Filipe Fiákra.


Cantor e compositor da cena pop-eletrônica de Brasília, Filipe se sentiu à vontade pela segunda vez com obra dos paraibanos Antônio Barros e Cecéu – a primeira foi “Homem com H”, de Antônio Barros. Então consultou a autora e pediu permissão para gravar a música, utilizando uma estética visual e sonora que tem se popularizado na capital federal.


“Não costumo fazer pesquisa. Conheci a obra de Antônio Barros e Cecéu através de Ney Matogrosso. Gosto do andrógino, mas curto todos os estilos musicais. Casou com minha proposta e eu gravei ‘Homem com H’”, conta. “Se me permitirem, gravarei outras, com certeza”.


Filipe, de 28 anos, escreve e compõe, ou regrava obras de outros artistas que de alguma maneira têm link com a luta pela diversidade. “Gosto de falar sobre as pessoas serem o que elas são. Daí a identificação com a letra de ‘Desabafo’”, justifica.


Fiákra, como o artista assina, iniciou carreira em 2014 e desde então optou por construir uma obra engajada com o movimento LGBT. “Toco em boates e eventos particulares e gosto de fazer clipes, por isso faço tudo mais lentamente”, revela.


Roupagem. Tanto em “Homem com H” como em “Desabapho” (assim mesmo na sua versão, com “ph”), Fiákra imprimiu sua estética, nos arranjos e na produção de um trabalho visual com muito movimento e, sobretudo, muita linguagem corporal. Fácil, porque ele também é dançarino.


Ao lado das atividades como compositor, arranjador e cantor, ele é membro da companhia de dança Have Dreams, com a qual já representou o Brasil em evento no Estados Unides e voltará a fazê-lo em julho.


Suas músicas têm boa exposição em seu canal no YouTube. “Desabapho” tem quase 83 mil visualizações em quatro meses de exposição. “Homem com H”, postada em fevereiro do ano passado, já chega a quase meio milhão.

Relacionadas