sábado, 23 de março de 2019
Música
Compartilhar:

Festival de música clássica começa com homenagem a Piazzolla

André Luiz Maia / 25 de novembro de 2018
Foto: Reprodução
A história em som e concretude. O Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa retorna em sua sexta edição com mais performances de músicos eruditos do mundo inteiro, carregando em seu repertório a tradição da música de câmera, apresentada em igrejas e templos que também trazem em suas paredes bastante de nossa própria história.

O evento, que se estende até o próximo sábado, traz mais de 20 atrações distintas, incluindo neste número artistas de países como Finlândia, Suíça, Rússia, México, Holanda, Ucrânia, atrações nacionais e locais. Outro país estrangeiro que estará bem representado é a Argentina, especialmente no concerto de abertura, que acontece neste domingo (25) no adro da Igreja São Francisco, no Centro Histórico.

O repertório é majoritariamente dedicado ao compositor Astor Piazzolla, um dos gigantes da música argentina. Para representá-lo, a Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa convida o bandoneonista Marcelo Nisinman.

No programa da noite, há uma mescla de peças compostas por Piazzolla, como “Oblivion” e “Adios, Nonino”, e composições de Nisinman, a exemplo de “Hombre tango” e “Argentinos en Europa”. Ao invés de simplesmente reproduzir as músicas da maneira original, a ideia é mostrar releituras.

“Na música argentina, Astor Piazzolla é um ícone, uma referência inescapável. Acho que este concerto será especial, primeiro pelo trabalho do maestro Laércio com a orquestra — é muito lindo trabalhar com uma equipe tão dedicada —, mas também porque acredito que a melhor forma de homenagear Piazzolla, que não era apenas um ótima compositor, mas um excelente arranjador, é evitando a mera reprodução. Por isso, fiz arranjos próprios para a performance”, conta Nisinman ao CORREIO.

Relacionadas