terça, 16 de julho de 2019
Música
Compartilhar:

Felipe Alcântara relança a carreira unindo outros gêneros ao forró

André Luiz Maia / 26 de junho de 2018
Foto: Divulgação
Quase um ano após sua saída do grupo Os Gonzagas, Felipe Alcântara retorna ao mercado musical com “Dias mais belos”, single que marca o início de sua carreira solo. O paraibano assinou contrato com a Universal Music e já está planejando lançar outras canções até o fim do ano.

Depois de seu desligamento do grupo, Felipe passou três meses em dedicação total à sua família, até que uma nova porta se abriu. A canção de estreia reflete um pouco deste processo lento de autoconhecimento. “Dias mais belos” traz elementos diversos, empacotados em uma sonoridade simples. Há traços de reggae, folk, surf music, pop e, como não poderia faltar, forró, o ritmo que o apresentou nacionalmente.

Alcançar este novo som demorou algum tempo. Tudo começou quando conheceu Estevão Queiroga, seu diretor musical e coautor de “Dias mais belos”.

“Ele veio passar férias aqui em João Pessoa, nos conhecemos, começamos a conversar e passamos oito meses concebendo o som, para saber como eu me posicionaria”, conta o cantor e compositor.

Estevão entra na vida de Felipe alguns meses após a saída de Felipe de Os Gonzagas e foi providencial para os rumos que o paraibano escolheria para a própria carreira.

“Quando eu saí da banda, eu realmente não sabia o que iria fazer. Em algum momento, pensei que iria cantar músicas religiosas, mas depois entendi que não, que Deus pedia que eu fizesse aquilo que pulsava dentro de mim, música popular”, completa Felipe.

A decisão de seguir caminho próprio não foi algo premeditado e a prioridade é sua família. “Foi algo bem difícil sair de Os Gonzagas, foram cinco anos de projeto, muitos amigos e isso me gerou muitas dúvidas. Mas, com a chegada da minha filha, isso se tornou mais claro: que eu precisava abrir mão para poder dar atenção à minha família. Trabalhar na estrada é algo muito sofrido. A chegada dela me ajudou a mudar a perspectiva de como enxergar a vida”, relata o cantor.

História

Seu envolvimento com a música vem desde cedo. Ainda na infância, em João Pessoa, teve sua iniciação musical com seu pai, aprendendo a tocar instrumentos sem ensino formal.

Desde muito jovem, também pratica surfe, algo que está presente em sua vida até hoje. “Por isso mesmo meu novo trabalho tem essas referências. O reggae, a música praiana, é algo que desde sempre está na trilha sonora da minha vida. Aliar isso ao forró era algo natural”, completa o cantor.

Planejamento

O contrato com a Universal Music acaba sendo fruto de um trabalho conjunto com seu escritório, responsável pela administração de sua carreira, a Talentos Produções, o mesmo do Padre Fábio de Melo. Apesar da vitrine que a participação de Os Gonzagas no reality show musical Superstar tenha dado ao artista, as responsáveis pela agência conheceram sua história por outra razão.

Seu comprometimento com a religião ficou conhecido nacionalmente após o cantor prestar um testemunho na TV aberta sobre sua fé, amparada no catolicismo, gerando grande repercussão. “Elas viram o testemunho e se interessaram em trabalhar comigo, mesmo eu não tendo pretensão de fazer música religiosa. Inclusive, sou o primeiro artista da agência na categoria música popular. A gente foi conversando em conjunto com algumas gravadoras até que a Universal Music nos abraçou”, afirma Felipe.

Personalidade

Com a estrutura de uma grande gravadora nacional, vem um grande plano de divulgação e estratégia mercadológica, o que acaba intimidando artistas mais autorais. Felipe afirma que não se sente intimidado por isso.

“Eu procuro cantar a minha verdade e aqueles meses com Estevão serviram para encontrar o caminho que eu queria trilhar. Não vejo mal algum em usar os conhecimentos e pensar em estratégias de divulgação para levar sua música até outras pessoas. Inclusive, é preciso aliar instinto e racionalidade”, comenta Felipe Alcântara.

Uma das coincidências que aponta é o lançamento do clipe de “Dias mais belos”. Gravado no formato vertical, adequado ao formato de tela dos smartphones e uma tendência crescente no mercado internacional, o cantor decidiu criar um clipe simples, em câmera contínua, para divulgar a faixa.

Quase simultaneamente, o Instagram criou uma plataforma de divulgação de vídeos longos neste formato, a IGTV. “A gente não pensou em fazer o vídeo para a plataforma especificamente, mas aproveitamos a situação para usá-la e divulgar nosso trabalho”, completa.

Relacionadas