terça, 13 de novembro de 2018
Música
Compartilhar:

Encontro entre Seu Pereira e Aline Lessa chega a JP e CG

Kubitschek Pinheiro / 05 de abril de 2018
Foto: Divulgação
Depois das apresentações no Rio e em São Paulo, a parceria entre Seu Pereira e a cantora, compositora e multi-instrumentista carioca Aline Lessa chega à Paraíba. O show Rio Parahyba será apresentado nesta quinta-feira (5) em João Pessoa, no Empório Café, e sábado em Campina Grande, na Garagem do Tenebra. Entre eles, a dupla canta em Recife amanhã, no Espaço Rouge, no bairro da Casa Forte.

O show junta os dois últimos discos dos artistas. O Eu Não Sou Boa Influência pra Você, de Seu Pereira, e o Hoje eu Falo por Mim, de Aline. O contato partiu da carioca.

“Vi no YouTube. Eu estava com as amigas que moram comigo e começamos a ouvir esse som e bateu na hora a vontade de conhecer o Falcão”, conta Aline, por telefone, referindo-se a Jonathas Falcão, identidade não tão secreta do vocalista da Seu Pereira e Coletivo 401. “Mandei um direct e pelo instagram nos conhecemos e estamos tocando e cantando nosso Rio Parahyba”.

“No som da gente, as canções dialogam, nossa poesia é bem parecida com a dela”, completa Seu Pereira. “Aí veio a boa ideia de fazermos o show. É uma alegria enorme trazer Aline para cantar em minha terra”.

Os artistas vão misturar as canções de seus repertórios. De Aline “Não foi por mal”, “Me perdoa” (dela e Elisio Freitas), “Não sei de você”, “Muito barulho por nada” (dela com Elisio Freitas e André Colares) e “Indiferença” (de Zezé di Camargo, sucesso de 1996 da dupla Zezé & Luciano). Todas gravadas no Hoje Falo por Mim, da Biscoito Fino, segundo disco da cantora.

“O nome da minha rua no Rio é Pereira da Silva, em Laranjeiras, e o numero da casa é 401! Só podia ser boa essa junção com o Coletivo e Seu Pareira”, brinca Aline. Segundo Seu Pereira, o show é bem movimentado e os dois ficam o tempo todo no palco. Não se desgrudam.

De Seu Pereira, eles vão atacar “Eu não sou boa influência pra você”, “Bicho solto”, “Já era” e “Otário”, todas assinadas por ele, que é conhecido por tocar numa sonoridade de um baião nervoso. Ele explica: “É uma levada da banda, a gente toca o baião diferente e por isso chamam de ‘nervoso’ e funciona super bem”.

No show eles se apresentam acompanhados por PH Rocha no baixo e Bianca Godoi na bateria. E cantam outras canções, até uma nova em parceria dos dois, que ainda não tem nome.

Alice disse que a amizade sonora, o vinculo com a Paraiba já é grande. “Estamos aqui desde o final de semana. Estou adorando a cidade e todos os dias ensaiando”.

Cada um um, cada um

Aline está chegando aos dez anos de carreira, tendo lançado dois discos solo, que transitam entre indie rock, jazz e as músicas latina e eletrônica. Antes, ela foi tecladista e a principal compositora da banda Tipo Uísque, que participou do Lollapalooza Brasil e SXSW, nos Estados Unidos. Esteve com a banda por seis anos, com a qual lançou dois EPs: Afague e Home, lançados pela Som Livre.

A poesia de Seu Pereira fica entre o ritmo e crônica sobre a Paraíba numa sonoridade que soa e agrada em cheio. Formada há cinco anos, a banda Seu Pereira e Coletivo 401, da qual o cantor e violonista faz parte, já viajou pelo Brasil e também já passou pela África e Europa.

Agora, essas duas forças criativas viajam juntas pelo Brasil e pela música.

Relacionadas