quarta, 19 de dezembro de 2018
Música
Compartilhar:

Doze repentistas participação de batalha em Campina Grande

Fernanda Figueirêdo / 02 de novembro de 2018
Foto: Divulgação
A 12° edição do Desafio Estado contra Estado, maior festival de repentistas do país, acontece amanhã, a partir das 20h, no Teatro Municipal Severino Cabral, em Campina Grande. O evento reúne cantadores de cinco estados do Nordeste e escolhe o melhor entre os 12 participantes durante uma emocionante disputa de versos. O desafio é organizado pelo poeta declamador Iponax Vila Nova, e promovido pelo Clube do Repente da Paraíba.

De acordo com o organizador, o festival surgiu para suprir uma necessidade, que era ter um evento na linha de repente em Campina Grande.

“Criar iniciativas como essa mantém viva nossa tradição de repente e cultura nordestina, significando a continuidade de algo que está arraigado na alma do povo nordestino. Nós sabemos que o repentista é o porta-voz cultural da nossa gente, precisamos perpetuar isso para as próximas gerações”, explica Iponax.

Esse ano, o festival pagará um dos maiores prêmios de toda história do repente em um julgamento individual que será realizado por uma banca julgadora, formada por poetas e apologistas conhecedores da temática. Todos irão receber um cachê, mas haverá um acréscimo no valor inicial para o cantador que passar de fase.

O vencedor receberá uma viola no valor de R$ 6 mil para somar ao prêmio, totalizando R$ 8 mil para o campeão.

O segundo colocado também receberá uma premiação maior, de R$ 2 mil, então acredito que essa progressão de prêmios será um estímulo a mais nessa peleja, pois cada fase ultrapassada significa mais dinheiro no bolso”, disse o organizador.

“Claro que existem os preferidos da plateia, e geralmente são os paraibanos", conta Vila Nova. O maior vencedor da história do evento, com cinco vitórias, é o paraibano natural de Cuité, Raimundo Caetano, que participa mais uma vez do evento este ano.

O segundo maior vencedor é o também paraibano Rogério Meneses, também presente amanhã. Os dois residem em Caruaru e são os atuais campeões do evento – ano passado a premiação foi por dupla. Iponax Vila Nova completa que apenas os estados do Piauí e Ceará ainda não venceram nenhuma das 11 edições anteriores do evento.

Iponax lembra ainda que todos os anos o evento possui diferenciais para não tornar-se repetitivo para o público que lota o teatro. “A diferença desse ano é que o sorteio é na hora, de quem canta com quem. E ao invés de avançar somente quatro do total de 12 cantadores, avançam oito, garantindo mais chances para todo mundo”.

Sediar o evento está dentro da relação íntima que a Paraíba tem com o repente e a cantoria. "A cantoria nasceu na Serra do Teixeira. É um prazer estar entre os dois únicos paraibanos nesse evento, quando a gente sabe que existem muitos outros poetas brilhantes na Paraíba", diz Rogério Meneses.

"Ao mesmo tempo é uma responsabilidade enorme defender o meu estado em casa", completa ele. "É como se o Brasil estivesse em uma final de Copa do Mundo aqui no país. A torcida não perdoa se o time perder em casa".

Então Meneses e os outros 11 repentistas que se preparem para dar tratos à bola e conquistar a torcida presente no teatro.

Relacionadas