sábado, 19 de junho de 2021

Música
Compartilhar:

Djavan cita a própria história no Nordeste em seu novo disco, ‘Vidas pra Contar’

Kubitschek Pinheiro / 25 de novembro de 2015
Foto: Murillo Meirelles/ Divulgação
Djavan ainda tem muitas vidas para cantar. Não é à toa que Vidas pra Contar, seu 23º disco, que  conta parte da sua história, desde o Djavan menino, lá das Alagoas. “Em maio de 2016 vou cantar ai em João Pessoa”, adianta ele, pelo telefone, ao CORREIO.

Ele abre o CD com “Vida nordestina”, uma canção forte que inicia dizendo que a vida não é uma festa para o povo do sertão. “Essa canção fala da minha infância, por isso digo que esse disco tem uma coisa autobiográfica. Fiz pensando no meu povo, pensando em mim, no meu tempo de menino, minha infância e adolescência”, disse o artista, que deixou Alagoas em 1974 para construir uma carreira de sucesso a partir do Rio. “Eu pensei nos craques: em Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, Humberto Teixeira”.

De volta ao começo, já que esse disco é focado nas reminiscências, no amor e na saudade, o artista lembrou que tudo começou com sua mãe, Virginia, que prestava atenção na voz dele e sabia que ele tinha talento para ser artista. A 11ª faixa,  “Dona do horizonte, fala muito bem disso: “Eu já nasci, minha mãe quem diz, predestinado ao canto. Ela falou que eu tinha o dom quando eu estava na soleira dos meus poucos anos”, conta, emocionado. “Sempre disse que minha mãe foi tudo para mim mas estava devendo uma canção em homenagem ela, que dizia que eu seria o seu Orlando (Silva). Ela fazia uma canção para cada filho que nascia, inventava a letra e a melodia. Minha mãe está em mim, que ouvia Angela Maria todo dia e me chamava para ouvir junto”.

“VIDAS PRA CONTAR”

De Djavan

Gravadora: Sony Music

Preço: R$ 24,90.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas