sábado, 19 de setembro de 2020

Música
Compartilhar:

Cantor e compositor Álvaro Lancellotti lançou o elogiado ‘Canto de Marajó’

Kubitschek Pinheiro / 03 de janeiro de 2017
Foto: Divulgação
Canto de Marajó é o novo CD do carioca Álvaro Lancellotti, mergulhando em mantras, cantorias antigas e batuques. Todas as composições são dele, algumas com o irmão, Domenico Lancellotti. O disco revela um artista em movimento, atravessando mares, com seu canto junto da percussão de Adriano Sampaio, e a presença de Domenico, com bateria e MPC, que elevam o trabalho.

Álvaro revela que esse trabalho segue o caminho traçado desde O Tempo Faz a Gente Ter Esses Encantos (2012), seu segundo CD. “Eu buscava esse lugar de ser balanço e ser sereno ao mesmo tempo. Um desejo que eu não conseguia realizar no Fino Coletivo,  que sempre teve uma sonoridade muito festiva”, diz, sobre a banda que integrava. “ Sinto que o Canto de Marajó chegou num lugar que é o mais perto de onde eu buscava ou pensava chegar em termos de sonoridade. A suavidade, os tambores, os mantra, junto de uma sofisticação sonora, contemporânea, mas que também não se põe à frente da canção hora nenhuma”, revela.

A canção que dá nome ao disco se estica ao extremo. “Mesmo sem saber o significado da palavra além da ilha, eu fui fazendo o resto da letra. Quando a música ficou pronta, busquei no dicionário tupi o significado e descobri que ‘marajó’ seria ‘anteparo’”, conta. “Ao redor da Ilha de Marajó existem bancos de areia que protegem a costa do mar. Daí teria vindo o nome da ilha. Adorei isso, a ideia de proteção estar contida nela. Por fim, acabou dando o nome do meu disco”.

As faixas “Para voltar” e “O passo” ele assina com o irmão Domenico (quando compõem juntos geralmente Álvari faz a melodia e Domenico a letra). “Foi assim nessas duas. É meu letrista preferido!”, diz, completando: “Meu irmão sempre participa dos meus trabalhos desde que eu nasci”.

Com a Fino Coletivo, Álvaro Lancellotti estava desde 2005 - a banda chegou a gravar três discos. O filho do cantor e compositor Ivor Lancellotti também mantém a mesma banda desde o começo da carreira solo. Do primeiro disco, “Autoajuda” e “Sexta-feira” foram bater na série Preamar do canal a cabo HBO.

Relacionadas