quinta, 24 de janeiro de 2019
Música
Compartilhar:

Beto Brito lança novas músicas e prepara novo disco

André Luiz Maia / 20 de junho de 2018
Foto: Rafael Passos
Artista de talentos múltiplos, especialmente por conta de sua rabeca e de seus cordéis, Beto Brito é um artista respeitado em seu meio e já alcançou muitos objetivos. A inquietude, no entanto, é uma de suas características, motor de sua inventividade. Com o objetivo de se aproximar do grande público sem perder sua identidade musical, ele lança “Louquinha demais”, novo single, que veio acompanhado por um videoclipe e também já pode ser ouvida em todas as plataformas digitais. No sábado, Beto canta no Toroh Music Festival, seu retorno aos palcos após um ano de muito trabalho.

O videoclipe de “Louquinha demais” foi filmado na Vila do Porto, no Centro Histórico de João Pessoa, e apresenta referência ao filmes de faroeste e elementos da cultura nordestina, além de toques de modernidade.

“Logo no começo do clipe, a protagonista aparece arrastando um caixão com minha viola dentro. Queria que tivesse aquilo para fazer a menção a esses filmes e queria que fosse uma mulher fazendo isso”, conta Beto Brito. Por sinal, a música incidental dessa cena (que cita Django, um western-spaghetti de 1966), prelúdio do clipe em si, é composição de Beto e Marcelinho Macedo.

A produção, assinada pela Grão de Cinema, conta com o diretor Diego Miranda. Aymê Vasconcelos, Marcelo Piancó e Nelson Rossiter são os atyores principais.

O roteiro do clipe é centrado na mulher que chega à festa e começa a se tornar o centro das atenções. Sua atitude livre e inusitada – ela disputa uma queda de braço com um rapaz e ganha – é a personificação da garota que Beto canta na letra da música.

De acordo com o artista, a vontade de criar um videoclipe para o novo trabalho se deve à sua disposição em preencher uma lacuna deixada em mais de 20 anos de carreira.

“Temos que reconhecer que o poder do vídeo é muito grande e durante a minha carreira não dei atenção ao audiovisual. Hoje em dia, mais que nunca, música e visual caminham lado a lado”, comenta. “Louquinha demais” é o primeiro passo de um novo trabalho em estúdio, o primeiro desde Correio da Noite, lançado em 2013. Até o fim do ano, Beto Brito pretende apresentar pelo menos dois clipes.

Uma das canções prontas é “Sou Paraíba, sim, Senhor”, parceria com Chico César. No show do próximo sábado, ele canta “Louquinha demais” pela primeira vez e também abre espaço para testar junto ao público outra canção inédita, “Amor de caracol”, que também deve ganhar clipe.

Beto também aproveita e faz um passeio pelos repertórios dos oito discos lançados até então. No palco, além de sua rabeca e seu violão, Brito estará acompanhado de Beto Preah (bateria e percussão), Adriano Ismael (contrabaixo e bandolim) e Uirá Garcia (guitarra e violão).

O show também marca sua entrada para o casting da Toroh Música&Cultura, agência de artistas paraibanos comandada pelo produtor cultural Rayan Lins. “Rayan é um revolucionário musical. Todo mundo sabe a importância dele para a cultura paraibana e isso me motivou a aceitar seu convite. Sou meio avesso às redes e acho que todo artista precisa ter ao seu lado alguém que saiba usar essas ferramentas para se comunicar com o público jovem”, salienta Beto.

(Sem) pausa

Não apenas distante dos estúdios, Beto Brito também escolheu passar um ano afastado dos palcos. Contudo, engana-se quem pensa que o artista ficou parado. Por sinal, estagnação é algo que não combina com a trajetória de Beto, que desde 1997 apresenta uma produção ininterrupta.

Durante este período, ele compôs mais de 50 músicas e escreveu três livros, sendo que um deles já foi lançado, Cordel Sonoro. Nos próximos meses, virão outros dois livros de cordel, dedicados às questões do meio ambiente.

Autor do mais longo cordel já produzido, Bazófias de um Cantador Pai D'Égua, ele aproveitou este tempo para reescrever o primeiro volume do livro, lançado originalmente em duas partes. “Quando escrevi o primeiro, tinha um estilo de escrita livre. No segundo, eu comecei a seguir outra técnica. Agora, decidi adequar a primeira parte a esse novo estilo de escrita que desenvolvi”, explica o artista.

Tudo isso só aconteceu porque ele optou por dar esta pausa, um tempo para descansar da rotina corrida de artista, com muitas viagens, e espaço para arejar a cabeça. Esse break também ajudou a definir as direções para este novo disco, que ainda não tem título definido e que deve sair em fevereiro de 2019.

“Eu quero fazer um disco mais pop, por assim dizer, me aproximar do grande público, mas sem abandonar minha qualidade poética. Jamais abrirei mão das minhas bases para lançar música a toque de caixa, sem me preocupar com o impacto social e com sua estética”, completa. Em fevereiro, descobriremos o resultado deste novo rumo da carreira do artista inventivo e múltiplo que é Beto Brito.

Relacionadas