quinta, 25 de fevereiro de 2021

Música
Compartilhar:

Antônio Barros e Cecéu contam histórias e relembram sucessos

Francisco Varela Neto / 16 de junho de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
Antônio Barros e Cecéu, duas lendas vivas da música nordestina e brasileira. Os responsáveis por sucessos imortais como, “É proibido cochilar”, “Bate coração”, “Homem com h”, “Procurando tu” e várias outras canções que ecoam em todo período de São João pelo país, estiveram no programa Correio Debate da rádio Correio Sat/98FM e falaram de diversos temas e histórias que aconteceram ao longo da carreira da dupla. Antônio Barros fez uma revelação de onde pode ter nascido o título de maior São João do mundo da cidade de Campina Grande. Segundo ele, o nome veio depois de uma entrega de um LP com nome parecido ao então governador do estado na época.

“Na música o maior forró do mundo, eu dei o disco LP, a Ronaldo Cunha lima. Ai nasceu por coincidência ou não o maior São João do mundo”, disse.

O cantor e compositor também relatou como conheceu a companheira de palco e esposa Cecéu. “Eu tive duas vezes casado pode-se dizer assim, e felizmente a primeira não me quis porque eu estava muito velho, a segunda depois disse que gostava de outro homem e eu achei foi bom. Ai eu fui passar uma férias na casa da minha irmã em Campina Grande e lá tinha uma vizinha com a filha de 21 anos que entrava sempre na casa da minha irmã. Eu não queria saber mais de ninguém pela ingratidão que eu tinha sofrido no passado, ai essa moça entrava e saia. Ai eu falei assim para minha irmã: quem é essa menina que entra sempre aqui? ai ela disse assim: não mexa com ela não que ela é uma menina direita! Ai um dia ela entrou de novo, e eu chamei e perguntei o nome dela”, relatou.

De acordo com Cecéu, no início de carreira da dupla, o ritmo cantado não era o forró, mas sim a música romântica como os sucessos da época. “Nós formamos uma dupla no Rio de Janeiro em 76 que por sinal não foi música nordestina e vocês talvez nem saibam disso, e eram músicas românticas na época. Ai colocaram o nome da dupla de Tony e Mery. E era justamente naquele estilo da época e a gente estava na época da sobrevivência e era jogo de cintura para se viver da música mesmo. Mas sempre estivemos com um pé dentro da música nordestina”, afirmou.

Antônio Barros afirmou que antes de conhecer Cecéu já tinha sucessos que tocavam pelo Brasil. “Eu já tinhas sucessos como procurando tu, mas dinheiro que era bom estava nas mãos dos donos das gravadoras. E meu primeiro grande sucesso foi procurando tu, depois veio “Sou estopim”.

E falou da origem da música “Procurando Tu”, que foi um grande sucesso e é lembrada até os dias de hoje. ‘’A música nasceu quando eu era músico de um navio e o trio nordestino já estava no auge, que por sinal os grandes sucessos do trio nordestino, nasceram modéstia parte de mim. Ai um dia eles chegaram para mim e falaram: Antonio faz ai um xote para a gente, porque eu só tinha gravado baião, forró e marchinha. Ai eu viajando aqui pelo nordeste no navio, nesse litoral, eu imaginei o nosso sertão, ai eu me lembrei daquelas mulheres na beira da lagoa falando : menino aonde é que tu tava? Aonde é que estava tu? Eu estava procurando tu! E ai na volta eu fui fazendo a música. Depois o cara da gravadora achou a música interessante e levou para as casas noturnas de São Paulo e começou a tocar na voz do trio nordestino”, explicou.

Ele acrescentou que na época que a música foi feita, no auge da ditadura, ela foi proibida. “A censura proibiu, mas depois liberaram porque não tinha nada demais, e eu não tinha feito de propósito. Depois disso foi para primeiro lugar no Brasil, passou três meses nas paradas de sucesso com o trio nordestino”, disse.

Segundo Antônio Barros, a origem de outro grande sucesso, que mais tarde ficaria famosa na voz de Ney Matogrosso, a música “Homem com H”, foi na famosa novela da época, O Bem Amado.

“Homem com H eu estava assistindo a novela o bem amado, ai eu me lembrei quando o coronel Darunco falou uma vez : eu nunca vi rastro de cobra nem couro de lobisomem,  eu sou é homem. Ai eu peguei o violão e fiz a música. A música explodiu no Brasil porque nesta época existia os secos e molhados e eu olhava assim e pensava como eu queira gravar esta música com este cara magrinho que era o Ney Matogrosso, rebolando e cantando bem fininho. E ai acaba  a banda secos e molhados e depois de oito anos o Ney decidiu gravar a música”, relatou.

Dupla fora do maior São João do Mundo

Os dois artistas são campinenses e estão fora da programação do maior São João do mundo, na cidade de Campina Grande. De acordo com Cecéu, nenhum convite foi feito e seria uma humilhação uma dupla do tamanho deles pedir para se apresentar.

“Apesar de sermos campinenses nós estamos na programação, infelizmente a política deste ano mudou muito, nós teríamos que mandar eu acho algum projeto e não fomos procurados de forma alguma, então eu achei muito humilhante, Antônio Barros e Cecéu, chegar dentro de uma secretaria de cultura de campina grande e perguntar se eles queriam a nossa presença. Eu sei que muitas coisas mudaram, terceirizaram o são João, dando preferência realmente aos sertanejos”, afirmou.




 

 

Relacionadas