segunda, 24 de junho de 2019
Cultura
Compartilhar:

Mostra de Artes Teatrais Integradas começa neste sábado em João Pessoa

André Luiz Maia / 06 de outubro de 2017
Foto: Bruno Vinelli / Divulgação
João Pessoa recebe a partir deste sábado (7) uma mostra de teatro que evidencia a integração entre as artes cênicas. É a Mostra de Artes Teatrais Integradas (Marte), que se estende até o próximo dia 14 de outubro. Na abertura, o público poderá conferir uma aula magna com José Celso Martinez Corrêa, um dos maiores nomes do teatro nacional.

Fundador do controverso e provocador Teatro Oficina, o ator e diretor vem à Capital para falar sobre seu processo criativo e o novo espetáculo, uma remontagem de O Rei da Vela, que completa 50 anos em 2017.

"Ele fala sobre esse tempo de retrocessos que estamos vivendo agora, um cenário que ele viveu na década de 1970 e estamos vendo agora. Essa aula magna é uma provocação sobre a resistência do teatro tanto aos artistas quanto ao público", define Nilton Santos, idealizador da Marte e um dos curadores da programação da mostra, que também traz a assinatura do crítico teatral Valmir Santos.

Durante os dias subsequentes, o evento se divide em cinco módulos, englobando espetáculos voltados para crianças e adultos, contação de histórias, teatro-dança, ações em escolas públicas, ações ecológicas, oficinas e intercâmbios entre grupos, além de um ciclo de debates abordando temas como hibridismo teatral, formação de plateia, pedagogia do espectador e os rumos do teatro voltado para crianças e adolescentes.

Se apresentam grupos de teatro de São Paulo, Goiás, Rio Grande do Norte e Paraíba. Os potiguares do Grupo Carmin voltam à Paraíba após uma passagem pela cidade no início do ano passado com o elogiado Jacy, com seu novo espetáculo, A Invenção do Nordeste.

A peça é inspirada no livro A Invenção do Nordeste e Outras Artes, do professor de história Durval Muniz de Albuquerque Jr., e surgiu por conta de situações que o grupo presenciou durante a circulação com Jacy.

"Sempre havia uma questão a respeito da estética do grupo, especialmente do público do Sudeste e do Sul. Havia uma surpresa no final, pois não esperavam um espetáculo com abordagem contemporânea vinda do Nordeste, e isso nos inquietava. O que se espera de um teatro vindo do Nordeste?", aponta a diretora do grupo, Quitéria Kelly.

O Ser Tão Teatro reapresenta seu novo espetáculo, Alegria de Náufragos, na próxima sexta no Paulo Pontes. No mesmo dia, o coletivo Corpos de Saia apresentam No Mundo da Rua, na área externa do Teatro Santa Roza. A performance é fruto da reflexão que motivou a criação do coletivo, "investigar criativamente as possibilidades de aproximação entre sexualidade e cena contemporânea", como explica um de seus integrantes, Sávio Farias. Em cena, também estão Alice Maria, Arejo Frescura, Glaydson Gonçalves, Kelner Macêdo, Milena Medeiros, Phil Meneses e Priscilla Cler. Eliza Garcia assina a direção musical.

Sávio acredita que iniciativas como a Marte são importantes, pois o espaço para as artes cênicas está reduzido.

"Os festivais estão terrivelmente escassos: a Mostra Estadual simplesmente parou de acontecer; o Festival de Artes de Areia foi louvavelmente retomado e rapidamente desapareceu de novo; o Fenart nem se fala mais... Esperamos muito que essa realidade mude! Então, toda e qualquer nova mostra, além de ser bem vinda, é necessária", pontua o ator.

Relacionadas