quarta, 25 de novembro de 2020

Cultura
Compartilhar:

Ministério da Cultura lança encontro global de cultura, ativismo e política

Nemésia Antunes / 17 de novembro de 2015
Foto: Arquivo
Em um momento de intensas transformações e diante de uma crise de dimensões globais que atinge os mais diversos setores e institucionalidades, a cultura surge como ativadora de processos emergentes na disputa por direitos civis, políticos, sociais, econômicos e ambientais.

De 7 a 13 de dezembro, pensadores, ativistas, artistas, produtores culturais, gestores e agentes políticos de todo o mundo vão participar, no Rio de Janeiro, em Niterói e na Baixada Fluminense, do Emergências, projeto do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural. O objetivo é pensar a cultura na centralidade das lutas pela ampliação dos direitos e entender as mudanças no campo da política, dos comportamentos, da economia, das artes, e debater a emergência de novos modelos de sociabilidade.

Trata-se de criar um território cognitivo e afetivo, um espaço de conexão e diálogos para viver e pensar as aventuras políticas do século XXI. A ideia é reunir coletivos, indivíduos e redes que entendem que a mudança só virá a partir de uma transformação cultural e de mentalidade baseada no respeito à diversidade e em um reencantamento da política.

Dentre os temas de debates, destacamos: o contexto político do Brasil, os feminismos; a relação entre cultura e cidade; as culturas indígenas; a revolução comunicacional e a nova ecologia das mídias; a internet como espaço público; a crise migratória e a interculturalidade; as estéticas emergentes, arte e diversidade; o aquecimento global; as intolerâncias religiosas; as fissuras no capital e os novos caminhos econômicos; a política de drogas e a relação com o extermínio da juventude negra, entre outros.

Por que Emergências?

O nome do evento remete aos dois sentidos da palavra. De um lado, o sentido de urgência, associado a uma necessidade imediata de ações de enfrentamento dos retrocessos no campo dos direitos culturais e no conjunto dos direitos humanos. De outro lado, a palavra emergências faz referência ao surgimento de um novo contexto social, cultural, político e econômico marcado por novas formas de convivência geradas por uma verdadeira revolução sociocultural. Aliada à mudança tecnológica e às comunicações, viabiliza novos territórios culturais, novas modalidades de organização social e  um novo mundo no campo da informação.

Caravanas

A mobilização para participar do Emergências nos estados brasileiros e na América Latina já começou. Reuniões com articuladores locais estão levantando as caravanas que se deslocarão até a capital carioca e uma estrutura para hospedagem e um acampamento será montado no Rio de Janeiro para receber 1500 pessoas.

Chamadas Públicas

Para intensificar a participação social no evento, a Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultura (SCDC) do MinC irá lançar diversas chamadas públicas. Três já estão valendo: apoio para a compra de passagens internacionais, inscrição de voluntários e cadastramento de pontos de hospedagem solidária.

Os representantes de iniciativas ibero-americanas que queiram ter o apoio financeiro na compra de passagens aéreas deverão se inscrever até o dia 16 de novembro. Para os interessados em trabalhar no evento de forma voluntária, o prazo é até 20 de novembro. Já os moradores do RJ que possuam espaços disponíveis na cidade e que possam oferecer hospedagem de forma gratuita têm até 30 de novembro para se inscrever.

Nos próximos dias, serão lançadas chamadas para que interessados possam enviar propostas de programação (encontros, oficinas, mostras, exposição, etc), para apresentações artísticas e para percursos na capital carioca. O resultado de cada uma delas será divulgado até uma semana depois do encerramento das inscrições.

 

Confira a programação do evento.

Relacionadas