terça, 24 de novembro de 2020

Literatura
Compartilhar:

Marília Arnaud lança hoje seu novo romance, ‘Liturgia do Fim’

André Luiz Maia / 12 de agosto de 2016
Foto: Divulgação
Há vínculos que, por mais dolorosos que sejam, não conseguem ser totalmente desfeitos. A busca de um homem por um lugar que já não existe mais é o fio que conduz a narrativa do novo livro da escritora paraibana Marília Arnaud, Liturgia do Fim. A obra é apresentada hoje na Usina Cultural Energisa e no dia 24 terá outra sessão de autógrafos, na Livraria Leitura.

Este é seu segundo romance. Sua estreia no gênero foi com Suíte de Silêncios, lançado há quatro anos pela editora Rocco. Agora, pela Tordesilhas, ela apresenta a história de Inácio Boaventura, um homem de meia-idade que tem o ímpeto de abandonar toda a vida que construiu, inclusive a mulher e a filha, e retornar à pequena cidade de Perdição. Lá, se depara com as memórias de uma infância conturbada da qual nunca conseguiu se desprender.

Expulso de casa aos 18 anos, foi tentar a vida na cidade grande, onde se formou em literatura, virou professor e escritor. Mas depois de trinta anos, ele se vê sem perspectivas. Não tem fé nem mesmo em seu porto seguro de outrora, a literatura. “Ele não tem lugar, nem mesmo dentro dele. O único lugar que talvez ele tivesse era na palavra, mas ele se julga um escritor fracassado. É um homem em branco, um homem que ainda é um garoto”, delineia Marília Arnaud.

Inácio, o protagonista, acaba se definindo por seu não-pertencimento. Da mesma maneira em que não encontra mais sentido na vida antiga, ao retornar para Perdição há apenas vestígios e ruínas – tanto no sentido físico quanto psicológico – da vida de antes. “Ele está esfacelado, o pai dele está muito velho, as pessoas da família já estão mortas, ele tenta retornar para um lugar que não existe mais. Esse lugar é a infância dela”, complementa.

De certa maneira, é uma busca que, em maior ou menor grau, todos nós fazemos ao longo da vida. “Tem muita coisa da gente que está na infância. Sempre acredito que todo homem ainda é aquela criança, que teve afeto, que foi bem amada ou que teve algum desamor. As feridas da vida adulta não te afetam tanto porque você já está calejado, está inteiro, mas aquelas que você sofre na infância permanecem”, observa Marília. Para termos acesso a essas angústias, o livro possui uma narrativa de fluxo de pensamento.

A ausência de aspas nos diálogos também ajuda a demarcar a velocidade dessa narrativa, que troca de espaço e tempo a partir de gatilhos às vezes bastante sutis. o que demanda atenção do leitor ao mergulhar nas 150 páginas de Liturgia do Fim.

“Liturgia do fim”

De Marília Arnaud

Editora: Tordesilhas. Páginas: 152. Formato: 14 x 21 cm. Preço: R$ 30 (livro) e R$ 21 (e-book)

Lançamento hoje, às 20h. Na Usina Cultural Energisa (Av. Juarez Távora, 243, Torre, João Pessoa – 3221.6343 / 3221.4985 - http://www.usinaculturalenergisa.com.br).

Entrada franca

Leia Mais

Relacionadas