quinta, 04 de março de 2021

Literatura
Compartilhar:

Leitura iluminada: série Vaga-Lume volta repaginada com dez clássico

André Luiz Maia / 30 de setembro de 2015
Foto: Divulgação
vegantes por mares turbulentos, a Série Vaga-Lume, da Editora Ática, deu o “caminho das pedras” para leitores iniciantes de diversas gerações. Quem não leu ou conhece alguém que tenha se contorcido na cadeira com os mistérios de O Escaravelho do Diabo ou se emocionou com o drama real de Tonico? Para os saudosistas e para os novos leitores, uma boa novidade: a coleção está de volta, com dez livros da coleção relançados, com novo projeto gráfico.

A ação faz parte da comemoração dos 50 anos da editora e busca atingir os novos leitores. “A coleção, a mais tradicional que temos na editora, nunca tinha passado por uma reformulação gráfica. Mexemos nessa estrutura porque percebemos que as vendas continuavam expressivas, mas sentia falta de uma apresentação visual mais atualizada, que poderia ajudar a criar uma maior aderência da coletânea ao público leitor de agora”, pontua Paulo Verano, gerente editorial da Ática.

O mascote da coleção, Luminoso, também ganhou uma atualização visual, mantendo as características de um híbrido entre um menino e um vaga-lume, com traços mais finos e roupa moderna. Dentre as dez obras que já estão nas livrarias, vendidas a R$ 37,50 cada, destaca-se A Ilha Perdida, de Maria José Dupré, o recorde de vendas desde o início da Vaga-Lume: mais de 3,5 milhões de exemplares vendidos. Outro sucesso é O Escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida, que ganha uma adaptação cinematográfica em dezembro.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas