quarta, 26 de junho de 2019
Dança
Compartilhar:

Cirandeira paraibana Vó Mera recebe título de comendadora em Brasília

André Luiz Maia / 28 de novembro de 2018
Foto: Divulgação
Símbolo da cultura popular tipicamente paraibana, Vó Mera será condecorada com uma das homenagens mais honrosas destinadas a agentes culturais brasileiros. Durante a cerimônia da entrega da Ordem do Mérito Cultural, realizada em Brasília, a cantora e cirandeira será contemplada com a condecoração, na categoria Comendador.

Ela é uma das 35 personalidades homenageadas na cerimônia. A Ordem do Mérito Cultural é uma condecoração outorgada pelo Ministério da Cultura (MinC) a pessoas, grupos artísticos, iniciativas ou instituições a título de reconhecimento por suas contribuições à cultura brasileira.

A homenagem, criada pelo Governo Federal em 1995 por meio de decreto, é feita anualmente em comemoração ao Dia Nacional da Cultura (5 de novembro). A escolha dos agraciados ocorre todos os anos por meio de seleção entre nomes previamente indicados. Qualquer pessoa pode fazer uma indicação, dentro do prazo estabelecido, preenchendo o formulário disponível na página principal do blog ou enviando pelos Correios.

Os indicados são avaliados por uma comissão técnica, constituída por gestores das secretarias do Ministério da Cultura, que emite parecer conclusivo antes de encaminhá-los à consideração do Conselho da Ordem do Mérito Cultural.

Domerina Nicolau da Silva nasceu na pequena Alagoinha, no interior da Paraíba, em 1934. Lá, se apaixonou pelo coco de roda. Com a voz afinada e tocando um ganzá, a garota já expressava seu talento e a paixão pela cultura regional. Foi também nessa época em que ela escreveu as suas primeiras cirandas.

Anos depois, já residindo na capital, estabeleceu-se no bairro do Rangel, se tornando uma referência cultural do local. Em 2003, seu grupo de ciranda foi batizado como Vó Mera e Seus Netinhos, nome derivado da presença de seu neto Fernando Dylan, que a acompanhava tocando pandeiro e bumbo nas apresentações da artista.

Anos depois, a composição mudou novamente e passou a ser chamada de Vó Mera e Suas Netinhas, por ser integrada apenas por mulheres. Seu primeiro CD, intitulado Vó Mera e Suas Netinhas, foi lançado em 2008, gravado em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Em 2015, fez uma participação na novela Velho Chico, da Globo, com temática eminentemente regional.

Relacionadas