quinta, 18 de abril de 2019
Dança
Compartilhar:

Balé Cidade de Campina Grande apresenta Romeu e Julieta

André Luiz Maia / 22 de fevereiro de 2019
Foto: Rondinelle de Paula/Divulgação
A clássica história de William Shakespeare já foi contada e recontada inúmeras vezes, em diversos formatos. Desta vez, Romeu e Julieta será apresentado pelo Balé Cidade de Campina Grande com uma leitura própria da companhia.

Nos dias 22, 23 e 24 de março, o público de João Pessoa poderá conferir esse trabalho no Teatro do Sesi, no Centro. O espetáculo de dança tem encenação e coreografia assinados pelo paulista César Dias Cerqueira e direção artística e produção executiva do paraibano Erasmo Rafael.

A versão foi criada especialmente para as comemorações dos 55 anos do Teatro Municipal Severino Cabral. Em doze cenas, o espetáculo conta a história do casal de adolescentes impedido de viver livremente seu amor por causa das brigas entre suas famílias, os Montéquio e os Capuleto, rivais históricos.

A ideia de fazer o espetáculo veio de uma vontade da companhia em dialogar com o grande público.

“Normalmente, fazemos espetáculos de investigação, mais experimentais, circulamos por festivais de todo o país. Aqui, nós queríamos fazer algo que pudesse falar com o grande público, sem perder a característica investigativa do Balé Cidade de Campina Grande”, pontua Erasmo Rafael ao CORREIO.

A montagem de César Dias se baseia em um dos álbuns do compositor Max Richter. Quem acompanhou o seriado The Leftovers, do canal pago HBO, já está familiarizado com o trabalho do músico, responsável pela trilha sonora do programa de TV. Em um dos teasers de Romeu e Julieta publicados na internet, é possível ver cenas do espetáculo ao som da música utilizada na abertura de The Leftovers.

O espetáculo mescla elementos do balé clássico e da dança contemporânea, resultando em um espetáculo que não se encaixa completamente em nenhuma das definições. “A bailarina que faz Julieta, por exemplo, entra em cena com sapatos de balé, na ponta dos pés, mas há diversas rotinas que utilizam movimentações e composições de cena da dança contemporânea, com movimentos do nosso cotidiano. Os figurinos também refletem essa mescla, já que possuem elementos do clássico, porém de uma maneira mais moderna”, explica Erasmo.

Por falar nos figurinos, eles foram desenvolvidos pelas equipes do Sesi e do Senai, a partir dos modelos concebidos por Haendel Melo. “Eles trabalham normalmente para lojas e outros projetos, é a primeira vez que eles fazem algo para espetáculos e produções artísticas. Foi uma experiência muito interessante”, define Erasmo.

Em cena, são 12 bailarinos. “Juntamos dois elencos para esta montagem. Tem o elenco principal do Balé Cidade de Campina Grande e o elenco do Balé Jovem, que é formado pelos alunos da Escola de Dança do Teatro Municipal Severino Cabral”, explica o diretor artístico. Os bailarinos do balé também compõem o corpo docente da escola, então a performance de hoje, amanhã e domingo apresentará pupilos e mestres dividindo o mesmo espaço cênico.

Engrenagem



Além dos espetáculos em si, o Balé Cidade de Campina Grande realiza um trabalho de formação de público e do fomento à pesquisa e à sustentabilidade da dança enquanto mercado. O projeto Dança Cidadã onde oferece aulas de balé clássico para crianças dos 7 aos 11 anos da rede municipal de ensino. Já o Homens na Dança capacita rapazes dos 13 aos 30 anos com aulas de balé clássico e dança contemporânea .

Além disso, integrantes do corpo de baile do Balé Cidade de Campina Grande atuam como professores nesses projetos e na escola de dança em si. “Eles ganham um salário mínimo para dar aulas na escola, mas também estão disponíveis para aulas particulares, o que gera renda extra para que esses profissionais consigam exercer sua profissão”, completa Erasmo Rafael.

*Matéria atualizada para corrigir data do evento

Relacionadas