sexta, 27 de novembro de 2020

Cinema
Compartilhar:

Três curtas serão lançados nesta terça na Fundação Casa de José Américo

André Luiz Maia / 24 de novembro de 2015
Foto: Divulgação
Três curtas que serão lançados hoje no auditório da Fundação Casa de José Américo carregam algo em comum: a temática da violência contra a mulher. A produção dos filmes Por Ser Mulher, de Cecília Bandeira, Velhos Tempos, de Kalyne Almeida, e O Prazer É Todo Meu, de Yluska Gaião, é resultado do edital de Obras Audiovisuais Inéditas de Curta Metragem “Violência contra a Mulher: O que fazer?”, promovido pela Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana.

Enquanto Ser Mulher traz um documentário em parceria com o projeto “Violência simbólica no Cotidiano: o que você sente e o que você faz?”, Velhos Tempos e O Prazer É Todo Meu são ficções. No primeiro, são retratadas três gerações de mulheres, que mostra a condição feminina na infância, na fase adulta e na velhice. Em O Prazer É Todo Meu, Yluska interpreta Simone, uma jovem que sofre na pele os efeitos do revenge porn (pornografia de vingança).

“SER MULHER”/ “VELHOS TEMPOS”/ “O PRAZER É TODO MEU”

Lançamento hoje, às 17h

Na Fundação Casa de José Américo (Av. Cabo Branco, 3336, Cabo Branco – 3214.8523/ 3214.8538 – http://www.fcja.pb.gov.br)

Entrada franca.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas