quinta, 18 de abril de 2019
Cinema
Compartilhar:

‘O Senhor do Castelo’ é exibido em Taperoá na programação de aniversário de Ariano Suassuna

Assessoria / 13 de junho de 2016
“O Senhor do Castelo”, documentário sobre Ariano Suassuna dirigido por Marcus Vilar, com produção de Durval Leal Filho, será exibido em praça pública na cidade de Taperoá, Sertão paraibano, no dia 16 de junho, às 20h, em comemoração ao aniversário do mestre Ariano, que neste dia faria 89 anos se estivesse vivo. A promoção é da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), através da Prac/Coex e Nudoc; Prefeitura Municipal de Taperoá e Casa de Ariano.

O documentário de longa-metragem “O Senhor do Castelo”, sobre o escritor e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna, levou 15 anos para sua finalização. Com direção de Marcus Vilar e produção de Durval Leal Filho, as gravações tiveram início em 1992 na aula magna do reitorado do professor Neroaldo Pontes, uma das primeiras aulas espetáculo ministrada por Ariano Suassuna.

A realização é da ONG Para’iwa, com co-produção da TV Viva, Comvídeo e Universidade Federal da Paraíba – Prac/Coex. Durante 72 minutos, Ariano narra sua trajetória de vida e discorre sobre sua luta em defesa da língua portuguesa. A figura lendária de Ariano, esse Dom Quixote Armorial, passeia no campo da emoção e da paixão, falando da sua herança de luta e resistência, desde a morte prematura do pai, na década de 30, sua infância lúdica e repleta das tradições ibéricas, das personagens engraçadas da culturasertaneja e a criação do movimento Armorial na década de 70, fazendo aflorar momentos de lágrimas e risos no filme.

Com locações na Paraíba, Pernambuco e Rio de Janeiro, a produção contou com colaboração e apoio de vários pessoas e empresas ao longo dessa trajetória, com consultoria de Idelette Muzart, Bráulio Tavares e Carlos Newton Júnior. O argumento foi estruturado por Idelette Muzart, Marcus Vilar e Torquato Joel, e a trilha sonora tem a participação de Fernando de Farias Pintassilgo, Erivan Araújo do Grupo Tocaia, Antonio Nóbrega e Antonio Madureira.

A produção foi uma atitude de obstinação de Marcus Vilar e Durval Leal. O longa contou com a colaboração decisiva de Guel Arraes, Luiz Fernando Carvalho e George Jonas, que cederam imagens de suas produções das obras de Ariano e apoio do Governo da Paraíba.

Marcus e Durval fazem parte da equipe da Coordenadoria de Extensão Cultural da Universidade Federal da Paraíba e desenvolvem ações de extensão cultural e produções audiovisuais. “O Senhor do Castelo” é o primeiro longa-metragem da dupla, que realizou os filmes de curta-metragem “A Canga” e “O Meio do Mundo”, premiados em vários festivais de cinema no Brasil e no exterior. Em 2007, ano do lançamento, o longa-metragem foi exibido numa versão de 58 minutos, na abertura do Festival de Cinema de Recife, no dia 23 de abril, que fez uma homenagem a Ariano; no Cineport, em João Pessoa, no dia 12 de maio, e no dia 14 de junho, nas comemorações do aniversário de Ariano Suassuna no Cine Odeon, no Rio de Janeiro.

Relacionadas