domingo, 08 de dezembro de 2019
Cinema
Compartilhar:

Mostra Ateliers Varan entra hoje na fase final dos colóquios na UFPB

Renata Escarião / 09 de março de 2016
Foto: arquivo
A experiência de mais de 30 anos da francesa Varan, uma associação que organiza ateliers de documentário em várias partes do mundo, está em discussão no Colóquio Internacional de Cinema Varan no Brasil, que começa hoje e vai até sexta em João Pessoa, no Cine Aruanda, na UFPB. Desde o dia 01 de março até o dia 17 também está acontecendo na UFPB uma mostra retrospectiva que exibe os trabalhos cinematográficos desenvolvidos pelos Ateliers Varan pelo mundo.

O Colóquio reúne pesquisadores e professores, estrangeiros (na maioria franceses) e brasileiros, em torno de discussões que envolvem a história e as experiências vividas pelos envolvidos nesse estilo de produção cinematográfica, iniciada em 1978 por Jean Rouch e consolidada em 1981 com a criação da Varan. A partir daí a Varan se espalhou por vários países, tais como a África do Sul, o Vietnã, o Egito, a Colômbia, entre outros.

Nesses ateliers se formaram inúmeros documentaristas que filmaram o ambiente em que vivem, as pessoas, os conflitos, as transformações por que passavam seus países, seguindo a tônica de um cinema de campo fundado na longa duração e na verdadeira relação com as pessoas filmadas.

Mais de mil documentários, testemunhos preciosos da vida cotidiana e de momentos históricos fundamentais, foram realizados nos ateliers, por exemplo, da Bolívia pós-ditadura, da África do Sul do fim do Apartheid, do Afeganistão pós-guerra, do Vietnã da última década em plena mutação social, dentre muitos outros.

Cineasta paraibano e integrante do Núcleo de Documentação Cinematográfica (Nudoc) da UFPB, Marcus Vilar conta que a cooperação internacional entre a UFPB e a francesa Universidade de Nanterre, firmada em 1979, possibilitou que ele e outros cineastas paraibanos viajassem a França para participarem de cursos de formação em 1985.

“O colóquio e a mostra são importantes porque podem representar uma retomada dessa parceria e, acima de tudo, porque rediscute o que foi feito e o que ainda pode ser realizado por esses ateliers pelo mundo. Apresenta a uma geração nova a forte tradição que a Paraíba tem no documentário desde a década de 1960, inclusive com produções influenciadas por esse tipo de documentário”, afirma Vilar.

Para o coordenador do Nudoc e integrante da organização do evento, o cineasta João de Lima, diz que o evento acontece no Brasil pelo fato de o país ser uma referência nos frutos desse estilo, e que a oportunidade pode promover uma expansão dessas ideias entre os participantes, principalmente estudantes, e incentivar pesquisas e produções em torno da temática.

A mostra é uma iniciativa da Balafon, associação cultural sem fins lucrativos que organiza e disponibiliza acervo de documentos audiovisuais sobre a cultura brasileira, diretamente articulada aos Ateliers Varan, em parceria com a UFPB. A entrada é franca e a programação está disponível no site http://www.balafon.org.br/varan/jp.html.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas