segunda, 10 de dezembro de 2018
Cinema
Compartilhar:

‘Em chamas’ é o filme coreano selecionado para tentar concorrer ao Oscar

André Luiz Maia / 06 de dezembro de 2018
Foto: Divulgação
Mistério e obsessão são os combustíveis que resultam no novo filme do sul-coreano Chang-Dong Lee, Em Chamas. Aclamado como um dos melhores filmes do ano em diversas listas de popularidade, a obra chega ao Brasil com o selo de um prêmio da crítica do prestigiado Festival de Cannes e como o representante oficial da Coreia do Sul na corrida pelo Oscar de melhor filme estrangeiro.

A trama é elogiada pela crítica por conseguir trabalhar em quase duas horas e meia com temáticas e discussões pertinentes aos jovens sul-coreanos, especialmente os dramas existenciais e socioeconômicos de um país em ascendência e desenvolvimento tecnológico acelerado.

O diretor tomou como base um conto do escritor japonês Haruki Murakami e o adaptou à realidade sul-coreana. No centro do enredo, está o jovem Jong-su, aspirante a escritor. Com bloqueio criativo, ele já não sabe o que fazer para retomar suas atividades, até que reencontra uma colega de infância, a bela Hae-mi. Atraídos um pelo outros, o encontro resulta em sexo e no despertar de uma paixão obsessiva do protagonista pela menina de seu passado.

A pedra no sapato desse aparente romance é Ben, um jovem estrangeiro que Hae-mi conhece em uma viagem pela África. Rico e com hábitos peculiares, ele começa a incomodar Jong-su pelo relacionamento que estabelece com a garota, provocando um triângulo amoroso. No entanto, as coisas começam a tomar um rumo esquisito quando Ben revela um hábito bizarro.

O que era apenas um incômodo motivado por ciúmes se torna paranoia quando Hae-mi tem uma ligação telefônica interrompida e some sem deixar rastros. O diretor passa, então, a jogar com o espectador, intensificando aos poucos o clima de mistério e perigo.

Relacionadas