quarta, 19 de dezembro de 2018
Cinema
Compartilhar:

Documentário sobre Pedro Osmar deve ser exibido em JP em novembro

André Luiz Maia / 27 de setembro de 2016
Foto: Divulgação
Quem mora em João Pessoa dos anos 1970 para cá provavelmente em algum momento já ouviu falar do Jaguaribe Carne. O movimento cultural, que englobava resistência política, musical e social em uma reunião de cantores e compositores no bairro da capital, foi o precursor da cena musical independente da cidade. A previsão é que o filme seja exibido em JP até a segunda quinzena de novembro no Cine Banguê.

Uma das figuras centrais deste movimento é o multiartista Pedro Osmar que estrela o documentário Pedro Osmar – Pra Liberdade que Se Conquista que será exibido hoje e amanhã na mostra paralela “Cinema Agora!”, dentro da programação do Festival de Cinema de Brasília. A direção é de Rodrigo T. Marques e Eduardo Consonni, sócios da produtora de vídeo Complô.

O documentário, que contou com recursos do edital Rumos Itaú Cultural para sua finalização, acabou surgindo como consequência de algo mais pontual. “Inicialmente, a gente iria registrar as gravações de um novo disco de Pedro, que deve ser lançado ainda este ano”, explica Rodrigo ao CORREIO.

O disco, intitulado Quem Vem Lá, faz uma recapitulação de algumas músicas compostas por Pedro Osmar, mas que até então não haviam ganhado registro na sua voz ainda. O disco promete marcar o retorno em estúdio de Osmar às canções, ele que nos últimos anos havia se dedicado à experimentação.

No entanto, ao conhecerem melhor o trabalho e a vida de Pedro, Rodrigo e Eduardo decidiram ir além. “A gente começou o processo de pesquisa sobre ele e nos demos conta da grandiosidade de sua obra”, relembra Eduardo Consonni. Os dois acompanharam Pedro em algumas visitas à Paraíba, inclusive registrando imagens de uma comemoração aos 60 anos do artista, com a presença de diversos artistas influenciados por Pedro, realizada na Usina Cultural Energisa.

Mas foi em outro órgão do estado que a dupla de realizadores conseguiu um material precioso para dar corpo ao documentário. “Por intermédio de Bruno Sales, descobrimos uma série de filmagens realizadas em Super 8 durante a década de 1970 e 1980, registrando momentos importantes da cultura independente da cidade, com a participação do próprio Pedro.

Um deles foi Quando um Bairro Não Se Cala, de Marcus Vilar, que falava sobre o movimento Fala Jaguaribe. “Era um projeto de educação popular, que começou no bairro de Jaguaribe, nosso principal ponto de atuação. Ao longo dos anos, a gente foi motivando outras pessoas de outros bairros, que acabaram criando o Fala Bairros. Tudo isso sem um centavo do poder público”, relembra Pedro Osmar.

Além disso, outros registros em Super 8 mostram Pedro ao lado de artistas como Escurinho, o irmão Paulo Ró, Chico César, dentre outros, personalidades que moldaram a música paraibana contemporânea. “Durante essa pesquisa, a gente notou que Pedro não era só músico. Ele influenciou a forma de fazer política engajada com arte, sua contribuição para a poesia, para as artes plásticas. Buscamos mostrar isso no filme”.

Relacionadas