terça, 13 de novembro de 2018
Cinema
Compartilhar:

Crítica: Sonia Braga tem grande atuação em Aquarius

Renato Félix / 20 de setembro de 2016
Foto: Divulgação
Há uma diferença crucial entre O Som ao Redor (2012), o anterior e celebrado filme de Kléber Mendonça Filho, e Aquarius (2016). O primeiro era uma aguda observação de uma certa classe média sob o microscópio, mas não havia um grande protagonista. Aquarius continua sendo um filme forte, que quer pôr em debate certas questões da sociedade brasileira, mas seu suporte maior é uma protagonista com quem o espectador pode se identificar, se emocionar e torcer por. E, para isso, o diretor acertou na mosca ao vestir esse personagem com a pele e o talento de Sonia Braga.

Ela é Clara, jornalista aposentada que vive em um apartamento em seu pequeno prédio de frente para o mar de Recife, cercada por seus LPs. Na verdade, no único apartamento ainda habitado: uma construtora já comprou todos os outros. Mas Clara não tem o menor interesse em vender o seu.

É um filme sobre a memória e o afeto por coisas que a representam. Começa com fotos antigas da orla de Recife, quando os espigões ainda não haviam criado um paredão à beira-mar. Passa por uma cena nos anos 1980 em que Clara está numa festa comemorando o aniversário de uma tia idosa. Essa tia, em um momento, associa pela memória um móvel antigo a momentos eróticos vividos sobre ele. Uma memória desgarrada, um “corpo estranho” numa reunião familiar. É só um tipo de memória possível: os discos e o apartamento são memória palpável para Clara.

Ela resiste à pressão da construtora, de antigos vizinhos, dos próprios filhos. Ao lado disso, as relações de Calra com familiares, amigos e inimigos vão criando um cenário complexo da vida, pequenas questões que estão ao nosso redor. As relações patrão-empregada, racismo, o sexo na maturidade, a ética do mercado. Tudo temperado por uma bela e variada trilha, capaz de despertar a memória de muita gente.

“Aquarius”

Brasil, 2016

Direção: Kléber Mendonça Filho

Elenco: Sonia Braga, Humberto Carrão, Maeve Jinkings, Irandhir Santos, Buda Lira

Em cartaz em JP

Leia Mais

Relacionadas