terça, 11 de dezembro de 2018
Cinema
Compartilhar:

Continuação de ‘Mamma Mia’ faz a festa dos fãs do Abba

André Luiz Maia / 01 de agosto de 2018
Foto: Divulgação
Os anos passam, mas o grupo sueco Abba permanece presente. Mais de 35 anos depois de encerrar suas atividades musicais, em 1982, o grupo está planejando um “retorno”, com projeções holográficas, e novas canções. Antes disso, o grupo já tinha inspirado um musical da Broadway, que chegou com sucesso também ao cinema, e cuja sequência estreia nesta quinta-feira (2): Mamma Mia! – Lá Vamos Nós de Novo, dez anos depois do primeiro filme e sendo, em parte, um prólogo.

A narrativa é apresentada em dois blocos temporais, um no dias atuais (com o elenco original) e outro em 1979, com os eventos narrados da juventude de Donna (Meryl Streep) no primeiro filme agora vividos pelo elenco jovem (liderado por Lily James).

No presente, Sophie (Amanda Seyfried) se prepara para a reabertura do hotel na ilha grega e seu casamento com Sky (Dominic Cooper), que está em Nova York.

O eventos de 1979 mostram Donna e suas duas amigas inseparáveis (Alexa Davies e Jessica Keenan Wynn, nos papéis que, na versão madura, são de Julie Walters e Christine Baranski) e os encontros com os três possíveis pais de Sophie. Isso tudo, é claro, recheado de músicas inesquecíveis do Abba.

Mescla de clássicos e lado B

A sequência de Mamma Mia! pode ter sido uma ideia inusitada, mas aparentemente funcionou: o filme é a melhor performance de abertura das carreiras de Meryl Streep, Amanda Seyfried e Cher (a grande novidade do elenco, como mãe de Donna).

O jornal britânico The Guardian chamou o novo Mamma Mia de “estranhamente irresistível”. “Há algo na tolice implacável e no ridículo inflexível disso tudo que, combinado com o novo sabor de uma comédia autoconsciente, me fez rir apesar de mim mesmo: há performances divertidas e exageradas de Cher, Christine Baranski, Julie Walter e Alexa Davies, e algumas falas muito boas”, pontuou o crítico Peter Bradshaw.

Cher canta “Fernando”, um clássico do Abba que havia ficado de fora da trilha do primeiro filme. Outras canções reaparecem (“Dancing queen”, “Mamma Mia!”, “S.O.S.”, “Super trouper”), mas a revista Hollywood Reporter atenta para a presença de muitas canções “lado B” na trilha, como “Andante, andante” e “I wonder (Departure). Outros clássicos ausentes do original ganham sua vez, como “Knowing me, knowing you” e “The name of the game”, que chegou a ser filmada para o primeiro filme e foi cortada (a cena está nos extras do DVD).

Ecos. Mamma Mia! não é o único sinal de que a Abbamania continua viva. Com o reencontro de Agnetha Fältskog, Björn Ulvaeus, Benny Andersson e Anni-Frid Lyngstad (a Frida) após três décadas, na qual duas músicas inéditas foram gravadas, um show com hologramas dos artistas devem rodar o mundo inteiro. Além dos clássicos da década de 1970, a apresentação deve contar com essas duas canções inéditas. Uma delas, “I still have faith in you”, será apresentada ao público pela primeira vez em dezembro, em um especial de Natal na TV norte-americana. Björn, no entanto, negou que haja a intenção de gravar um álbum inteiro.

Para uma experiência mais “orgânica”, o grupo cover oficial Abba The Show está no Brasil este mês. No dia 8, o canta em São Paulo. Vídeos das performances no YouTube mostram as semelhanças entre cover e original.

E Cher gostou tanto de participar do filme que anunciou: seu novo álbum, o primeiro em cinco anos, será inteiro dedicado ao repertório de Abba, com abordagens particulares. Há material de sobra para os fãs do grupo se deleitarem este ano.

 

Relacionadas