quarta, 20 de janeiro de 2021

Cinema
Compartilhar:

Com seis indicações ao Oscar, ‘Manchester à Beira-Mar’ estreia em João Pessoa

André Luiz Maia / 09 de fevereiro de 2017
Foto: Divulgação
Um drama sem firulas. É assim que poderiam ser resumidas as impressões de quem já assistiu Manchester à Beira-Mar, um dos concorrentes a seis estatuetas do Oscar este ano. A produção estreia nos cinemas paraibanos poucas semanas antes do prêmio mais importante da indústria cinematográfica. Nas próximas semanas, é possível que estreie por aqui outro forte candidato: Moonlight – Sob a Luz do Luar, com previsão de lançamento no Brasil em 23 de fevereiro.

A trama nos apresenta a Lee Chandler (Casey Affleck) um zelador antissocial e antipático que faz seu trabalho como manda o figurino em um conjunto habitacional de Boston. Quando recebe a notícia da morte de seu irmão, Joe (Kyle Chandler), Lee é forçado a retornar à sua cidade natal, Manchester-by-the-sea. É importante não confundir com a cidade de Manchester, na Inglaterra, com mais de 3,5 milhões de habitantes. Aqui, a história é ambientada na pequena cidade do litoral do estado norte-americano de Massachusetts, com pouco mais de 5 mil habitantes.

Para sua surpresa, seu irmão o deixou com uma incumbência: a guarda de seu sobrinho Patrick (Lucas Hedges), impulsivo e com hormônios à flor da pele, como quase todo adolescente. Sua mãe o abandonou há alguns anos e ele não tem a quem recorrer, embora queira viver sua vida como se nada tivesse acontecido

Como se não bastasse a tarefa de preencher uma lacuna de pai, Lee ainda precisa enfrentar seus demônios internos ao retornar àquela cidade da qual partiu com o objetivo de nunca mais voltar. Ao longo da história, são apresentadas as razões que o levaram a tomar essa decisão, uma delas envolvendo sua ex-mulher, Randi (Michelle Williams).

Ao invés de grandes emoções e uma trilha sonora melosa, o filme procura traduzir a apatia do protagonista em seus elementos, como a fotografia em tons de cinza, ressaltando o ambiente seco do inverno. O diretor-roteirista Kenneth Lonergan, roteirista de Gangues de Nova York, dá preferências a longos planos e busca mergulhar sem pressa nos dramas pessoais de cada personagem, motivo que fez algumas pessoas compararem a produção como uma espécie de “capítulo extra” do filme Boyhood, de Richard Linklater.

A atuação de Casey Affleck, ressaltada pela crítica como uma das melhores da temporada, é considerada a favorita para a melhor ator no Oscar, já que recebeu o Globo de Ouro de ator/ drama e está indicado ao Bafta, na Inglaterra. No entanto, a campanha em prol de Affleck sofreu um abalo nos últimos dias. O SAG Awards, prêmio organizado pelo Sindicato dos Atores de Hollywood, acabou premiando como melhor ator a performance de Denzel Washington no drama em que o próprio também é diretor, Um Limite Entre Nós.

Indicações

▶ Filme

▶ Direção (Kenneth Lonergan)

▶ Ator (Casey Affleck)

▶ Ator coadjuvante (Lucas Hedges)

▶ Atriz coadjuvante (Michelle Williams)

▶ Roteiro original

Leia Mais

Relacionadas