terça, 25 de junho de 2019
Cinema
Compartilhar:

‘Blade Runner 2049′ estreia 35 anos depois do filme original

André Luiz Maia / 05 de outubro de 2017
Foto: Divulgação
Obra icônica do cyberpunk, Blade Runner (1982) foi um divisor de águas para sua geração. O filme dirigido por Ridley Scott trazia estética e narrativas novas para as telonas, contando a história de conflito entre os replicantes e os humanos em um futuro distópico.

Trinta e cinco anos depois, a aventura continua com Blade Runner 2049, que estreia nesta quinta-feira (5) nos cinemas do Brasil. Continuações naturalmente são motivo de preocupação para os fãs da obra original, ainda mais com essa distância temporal entre a primeira e a segunda parte. Com Blade Runner, o medo é duplo, já que se trata de uma obra conceituada e com forte apelo estético.

Felizmente, a missão ficou nas mãos do competente Denis Villeneuve, responsável filmes como Incêndios (2008, indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro) e A Chegada (2016), um dos filmes de ficção científica mais elogiados do ano passado. Trinta anos depois dos acontecimentos do primeiro filme, o policial K (Ryan Gosling), do Departamento de Los Angeles, desenterra um segredo que pode tornar a existência da humanidade em cheque. Para tentar evitar isso, ele começa a partir em uma jornada em busca de Rick Deckard (Harrison Ford), um antigo caçador de andrói des que está desaparecido há décadas e dado como morto.

O maior dos problemas dos dois atende por Niander Wallace (Jared Leto), novo proprietário da Tyrell Corporation, a empresa responsável pela criação de andróides de última geração. Com as modificações implementadas por Wallace, eles são mais sofi sticados e consequentemente perigosos. A ideia de uma sequência de Blade Runner surge em 1999, quando Stuart Hazeldine escreve um roteiro baseado no livro The Edge of Human, intitulado Blade Runner Down. A ideia foi descontinuada devido a questões de direitos autorais do romance. Dez anos depois, Ridley Scott e seu irmão Tony anunciaram o interesse de realizar um prólogo do filme (o original se passa em 2019). A ideia não foi para frente também.

Em 2015, Villeneuve entraria no projeto e, então, Blade Runner 2049 se tornaria realidade. A princípio, o canadense ficou relutante em aceitar fazer uma sequência, mas depois de ler o roteiro junto com Harrison Ford, mudou de ideia. Apesar disso, está atento às expectativas dos fãs do filme de 1982. "Sei que cada fã irá ao cinema armado com um taco de beisebol, tenho consciência e respeito isso, estou tranquilo porque isso é arte. Arte é risco, e eu tenho que arriscar", declarou em entrevista durante campanha promocional do filme. As críticas até então estão favoráveis. Resta conferir.

Relacionadas