segunda, 21 de setembro de 2020

Cinema
Compartilhar:

Aldeia Sesc se despede com programação voltada para cinema paraibano

André Luiz Maia / 24 de outubro de 2016
Foto: Divulgação
 

A Aldeia Sesc 2016 se despede hoje com uma programação dedicada ao cinema paraibano. Na Praça Esplanada do Novo Parque da Lagoa, serão exibidos alguns curtas, a partir das 18h. A exibição é gratuita. Antes, às 16h, houve intervenções dos grupos Maicyra Leão, de Sergipe, e da Cia. Dan Oliveira, da Paraíba, com os espetáculos “Gramíneos” e “Caleidoscópio”, respectivamente.

Na programação de cinema, há tanto novos diretores locais, a exemplo de Edson Lemos e Uegillys Keyllor, a cineastas consagrados, como Marcus Vilar. O primeiro exibido é Horizonte Salinas, de Edson Lemos, que também está na produção do segundo, “O Cão”, de Uegillys Keyllor, um filme experimental. Depois, é a vez de “A Canga”, sobre uma família vivendo em uma dura seca no Sertão da Paraíba em uma relação conflituosa.

Dirigido por Gerard Miranda”, “Universo Hip Hop PB”, como o próprio nome revela, traz um retrato da cena da cultura urbana das ruas de João Pessoa. A atriz Marcélia Cartaxo, premiada recentemente com o filme “Redemunho”, apresenta seu trabalho como diretora em “De Lua”. Por fim, a programação se encerra com a exibição de “O Diário de Márcia”, de Bertrand Lira.

O documentário conta a história de Márcia Gadelha, transexual paraibana, pedagoga e cerimonialista da Câmara Municipal de João Pessoa. A partir do ponto de vista da própria protagonista, documenta sua história utilizando uma narrativa em tom intimista nos moldes de um diário, em primeira pessoa, onde Márcia “faz anotações” de momentos importantes de sua existência: a infância, a adolescência e a fase adulta.

Relacionadas