quarta, 25 de novembro de 2020

Cinema
Compartilhar:

A competência esperada: novo filme da série não traz nada de muito novo

Renato Felix / 21 de agosto de 2016
Foto: Divulgação
Em um ano em que franquias enterradas há muito tempo estão ressuscitando do mortos (Caça-Fantasmas, Tarzan, etc), também voltou o agente antes desmemoriado vivido por Matt Damon. Mas Jason Bourne, pelo menos, traz o mesmo diretor e parte do elenco original para retomar a série. Não há nada de novo, mas sobra competência.

Bourne havia resolvido tudo sobre seu passado esquecido em O Ultimato Bourne (2007), mas o novo filme encontrou um novo gancho encaixando um dado que ele desconhecia sobre o próprio pai. Quando procurado com essa pista pela personagem de Julia Stiles, ele acaba entrando de novo em rota de colisão com a CIA.

Na agência, as novas caras são Tommy Lee Jones e Alicia Vikander.  Jones representa o velho estilo na agência e Alicia, o novo. O personagem dela é o mais interessante, ambíguo.

Damon defende bem mais uma vez o papel e Greengrass não perdeu a mão no ritmo do filme. Não chega a ficar acima da média da série, como Ultimato, mas compõe bem com os filmes anteriores.

"Jason bourne”

Jason Bourne. EUA, 2016

Direção: Paul Greengrass

Elenco: Matt Damon, Tommy Lee Jones, Alicia Vikander, Vincent Cassel, Julia Stiles

Em cartaz em JP

Relacionadas