segunda, 21 de maio de 2018
Cinema
Compartilhar:

Academia Brasileira de Cinema entrega o Troféu Grande Otelo

André Luiz Maia / 05 de setembro de 2017
Foto: Divulgação
É chegada a hora de conferir quais filmes a Academia Brasileira de Cinema irá agraciar com os prêmios dedicados à produção audiovisual nacional. Na disputa pelo prêmio de Melhor Longa-Metragem de Ficção na 16ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, destacam-se a cinebiografia Elis, de Hugo Prata, e Aquarius, segundo longa do pernambucano Kleber Mendonça Filho, com 12 e 11 indicações, respectivamente.

Dos cinco indicados, dois são cinebiografias. A história de Elis Regina, uma das maiores cantoras da Música Popular Brasileira, é interpretada por Andréia Horta em um filme que dividiu a crítica. Já Nise – O Coração da Loucura reconta através da atuação de Gloria Pires a história da psiquiatra alagoana Nise da Silveira, que revolucionou o tratamento de doenças psíquicas ao promover outra forma de aproximação com os internos.

O cinema pernambucano está bem representado na disputa, com dois indicados. Aquarius chamou a atenção por sua campanha de divulgação nos festivais internacionais, marcada por protestos contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Já Boi Neon conta a história peculiar de um vaqueiro que tem um grande sonho: ser costureiro e estilista.

Há paraibano na disputa. Na categoria Melhor Longa Metragem Documentário, o cineasta Vladimir Carvalho conta a história do artista plástico que é pouco conhecido no Brasil, mas que alcançou projeção invejável pelo mundo, em Cícero Dias, O Compadre de Picasso.

A premiação acontece no tradicional Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A partir das 20h45, o público acompanha a transmissão pelo Canal Brasil, apresentada por Simone Zuccolotto e com comentários dos críticos Luiz Zanin e Roger Lerina. Kiko Mollica e Maria Clara Senra registram a chegada dos convidados no tapete vermelho.

O GP do Cinema Brasileiro conta com direção e roteiro de Bia Lessa. É a segunda vez que ela comanda a cerimônia, realizada pela primeira vez em 2000, no Sesc Quintandinha, em Petrópolis.

Para esse ano, a diretora Bia Lessa pretende fazer uma grande homenagem ao cinema e toda a cerimônia será apresentada como se passasse dentro de um único filme.

Relacionadas