sexta, 14 de maio de 2021

Cinema
Compartilhar:

007 contra Spectre’ estreia hoje em JP, CG e Patos com organização inimiga

Renato Félix / 05 de novembro de 2015
Foto: Arquivo
A série James Bond nunca levou sua continuidade muito a sério. Poucos elementos passavam de um filme para o outro, sendo os mais fortes deles a morte da esposa em 007 a Serviço de Sua Majestade (1969) e a mudança do chefe M para uma mulher em 007 contra GoldenEye (1995). Bem, não levava. Desde 007 – Cassino Royale (2006), o primeiro com Daniel Craig e o primeiro que realmente deu um recomeço narrativo à série, a continuidade é forte de um filme para o outro. Esse caminho é seguido em 007 contra Spectre, que estreia hoje nos cinemas paraibanos.

Para começar, o filme segue com o retorno às referências da série, iniciadas em 007 – Operação Skyfall (2012), de pois dos dois primeiros filmes com Craig renegarem fortemente o passado de James Bond no cinema. Spectre é um nome familiar aos fãs da série: é a organização terrorista que foi sua principal inimiga em alguns filmes. Os mais íntimos torcem por um retorno de Blofeld, icônico chefe da Spectre, sempre com um gato no colo, e que ainda não é revelado se é a identidade verdadeira do personagem de Christoph Waltz. A revista Preview perguntou diretamente a Craig e ouviu como resposta: “Você sabe que não posso responder a essa pergunta”. De qualquer forma, Waltz é o vilão com ligações com o passado de Bond, tema que é outra herança de Skyfall.

O novo filme optou por duas bondgirls já experientes no cinema, bastante conhecidas tanto de quem curte o cinema “comercial” quanto o de “arte”: a francesa Léa Seydoux e a italiana Monica Bellucci (vejam a trajetória de ambas nos quadros nesta página). Léa é a principal delas, uma psicóloga que, promete a divulgação, é uma bondgirl diferente de todas as outras.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

Relacionadas