terça, 16 de julho de 2019
Artes
Compartilhar:

Mestres da astúcia, Os Barbixas vêm à Paraíba para show em CG e JP

André Luiz Maia / 22 de agosto de 2018
Foto: Divulgação
Você pensa rápido? Tem uma boa sacada para qualquer situação? Se sim, ainda assim Os Barbixas devem te deixar no chinelo. A companhia de humoristas vem à Paraíba para apresentar seu tradicional espetáculo Improvável, em cartaz há 11 anos. No sábado, eles se apresentam em Campina Grande. No domingo, estava prevista sessão única na Capital, mas, devido à procura, criou-se uma sessão extra, às 17h30.

Quem sintonizava na MTV durante a segunda metade dos anos 2000 com certeza deve ter se deparado com o trio no programa Quinta Categoria, apresentado semanalmente. O espetáculo nos palcos não é muito diferente. Os três precisam criar cenas diante de vários temas apresentados pela própria plateia. Dessa forma, uma apresentação nunca é igual à outra.

Ao invés de um espetáculo de livre improvisação, eles lançam mão de recursos para sistematizar e dar alguma base para que possam deixar a imaginação bem solta. "Os jogos são mecanismos para construir a cena e facilitar a comédia. São desafios e escapar deles é tão engraçado quanto falhar no processo. O público gosta quando a gente acerta, mas gosta ainda mais quando a gente erra (risos)", comenta Elídio Sanna, um dos integrantes do grupo.

São obstáculos aparentemente simples, como interpelar seu colega de cena apenas com perguntas e vice-versa, mas que se torna cada vez mais penoso diante da velocidade frenética dos pensamentos de cada um. Eles também precisam ser rápidos, dependendo da circunstância, para desenvolver personagens, falas e contextos, tudo em piscar de olhos.

Para fazer isso, não basta talento ou carisma, é preciso suor. "A improvisação é uma linguagem e, como toda linguagem, há um estudo. Inclusive, os atores que não tiveram nenhuma formação na área, quando nos assistem, têm a sensação de que é um outro mundo. Se jogar alguém sem esse preparo específico, a chance de que saia uma boa cena é mínima. Há uma literatura, exercícios para melhorar tanto a dramaturgia quanto a criação de recursos para criar personagens na hora", salienta o humorista.

Elídio Sanna compartilha a cena com Anderson Bizzocchi e Daniel Nascimento durante todos esses anos. A pergunta inevitável: há muita divergência interna? "Por sermos três pessoas relativamente calmas, conseguimos passar esses 11 anos sem muitos daqueles conflitos de grupo, até porque somos nós três e qualquer divergência se resolve bem rápido. A democracia é veloz", brinca o humorista.

Na verdade, essa união surge muito antes de Improvável. Na adolescência, Anderson, Daniel e Elidio estudavam juntosno Colégio Jardim São Paulo, na Zona Norte da capital paulista. O que tinham em comum? Isso mesmo, o humor. Monty Python, Mr. Bean, a dupla australiana Umbilical Brothers, dentre muitas outras, são referências para o trio.

Em 2001, veio a primeira apresentação conjunta. Três anos depois, fundaram a Cia. Barbixas de Humor, por causa do detalhe anatômico que unia os três, uma marca registrada do grupo, propositalmente registrada com a letra X. "A gente ainda se surpreende um com outro até hoje. É uma busca que cada um tem. Uma das missões do improvisador não é exatamente surpreender, é inspirar quem está contracenando conosco. para que elas se sintam motivadas a gostar e se engajar na cena", explica Elídio Sanna.

Os Barbixas em números. Falar do grupo em números é uma tarefa arriscada, já que o sucesso deles na internet é grande, amanhã já podem ser maiores. Até o fechamento desta matéria, são mais de 1 milhão de curtidas no Facebook, quase 3 milhões de inscritos no YouTube, com mais de 800 milhões de visualizações em vídeos. Improvável já foi assistido por mais de um milhão de pessoas desde sua primeira sessão, em 2007.

IMPROVÁVEL

Da Cia. Barbixas de Humor

Direção: Cia. Barbixas de Humor

Elenco: Anderson Bizzocchi, Daniel Nascimento, Elidio Sanna

Sábado, às 18h

Teatro Municipal Severino Cabral (Av. Mal. Floriano Peixoto, S/N, Centro, Campina Grande).

Domingo, às 17h30 e 20h

Teatro Paulo Pontes (R. Abdias Gomes do Nascimento, 800, Tambauzinho, João Pessoa).

Duração: 1h10.

Classificação: 14 anos

Ingressos: R$ 80 [plateia inferior e camarote (CG), plateia (JP) / inteira], R$ 70 [plateia superior (CG), frisas (JP) / inteira], R$ 40 [plateia inferior e camarote (CG), plateia (JP) / meia], R$ 35 [plateia superior (CG), frisas (JP) / meia].

Relacionadas