quinta, 18 de abril de 2019
Consumidor
Compartilhar:

Se população não reagir, gasolina pode chegar a R$ 5,00

Fábio Cardoso / 18 de maio de 2018
Foto: Reprodução
Os constantes reajustes do preço dos combustíveis podem elevar o valor do litro da gasolina para R$ 5. O alerta foi feito pelo presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo na Paraíba, Omar Hamad Filho, que afirma que, assim como os consumidores, os empresários do setor estão sendo penalizados com a política de preços adotada pela Petrobras, influenciada pelo mercado internacional.

A Petrobras anunciou um novo reajuste nos preços da gasolina e do diesel, o quarto na semana. Na última quarta-feira (16), o reajuste havia sido de 1,83% (gasolina) e de 1,76% (diesel). O aumento dessa quinta-feira (17) foi de 1,80% e 0,95%, respectivamente. Segundo a estatal, o preço do diesel A nas refinarias passará de R$ 2,3082 para R$ 2,3302, hoje. Já o preço da gasolina A nas refinarias passará de R$ 2,0046 para R$ 2,0407 o litro, no mesmo período.

“Os empresários do comércio varejista estão com a mão na cabeça e não sabem mais o que fazer para conter os aumentos sucessivos de preços da gasolina e do diesel, puxados pela alta do dólar e a excessiva carga tributária, responsável por quase 50% do preço de cada litro desses combustíveis”, aponta o empresário.

Pelos cálculos do segmento, as distribuidoras já estão vendendo aos postos a gasolina e o diesel a quase R$ 4 e R$ 3,60, respectivamente. “A situação é tão dramática que um empresário do setor, que adquiria 5 mil litros de gasolina por R$ 14 mil meses atrás, hoje, infelizmente, está pagando R$ 21 mil pela mesma quantidade”, revela Omar Filho.

“É uma situação preocupante, o mercado varejista está apavorado e não sabe mais como não repassar esses constantes aumentos praticados pela Petrobras e distribuidoras. E ainda assim é o posto que é o vilão da história?”, lamenta.

De acordo com presidente do Sindipetro-PB, o setor é o único segmento econômico que tem obrigação de informar o preço de compra e o preço de venda dos seus produtos, com uma tolerância de 0,5% nos equipamentos volumétricos, nas misturas do anidro ou no biodiesel, nas impurezas, “mesmo sabendo que a nossa mercadoria até chegar nos postos passam por vários modais (navio, trem, caminhão, balsa)”.

R$ 4,299

O litro da gasolina comum pode ser encontrado por até R$ 4,299 em João Pessoa, enquanto o preço mais em conta é de R$ 3,999, segundo atesta pesquisa da Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor do Estado da Paraíba (Procon-PB).

Os sucessivos aumentos no preço dos combustíveis, fruto da política adotada pela Petrobras desde julho do ano passado, também sofre com o aumento do preço do barril, que é comprado em dólar, e a valorização do dólar, que acaba prejudicando as moedas de outros países - caso do Brasil e da Argentina, por exemplo. Nesta semana, o dólar comercial atingiu os R$ 3,661 na venda, maior valor da moeda em dois anos.

De acordo com o conselheiro do Conselho Regional de Economia da Paraíba (Corecon-PB), Francisco Barros, o aumento do dólar provoca diretamente o aumento no preço dos combustíveis.

O preço do barril de petróleo Brent para entrega em julho fechou em alta de 1,02%, cotado a US$ 79,22 dólares. Em março, por exemplo, o mesmo barril era cotado a US$ 70, o maior valor do produto em três anos. “Além disso, há a possibilidade de aumento da taxa de juros nos Estados Unidos, o que aumenta a procura pelo dólar e o preço do petróleo, e as demais moedas caem de valor. O real e o peso, da Argentina, foram muito atingidos”, afirmou o economista.

Aumento de 5% à vista

De acordo com a pesquisa do Procon-PB, o menor valor da gasolina comum à vista, em dinheiro, foi encontrado a R$ 3,999, enquanto o maior foi de R$ 4,199, uma variação de 5%. Se o pagamento for realizado pelo cartão de crédito ou débito, os valores sobem para R$ 4,060 e R$ 4,299, respectivamente, uma variação de 5,89% e diferença de R$ 0,239.

O levantamento fiscalizou 83 postos de João Pessoa. O preço do litro do álcool à vista apresentou variação de 34,24%, com diferença de R$ 1,020. Os pessoenses podem comprá-lo à vista em dinheiro por preços que vão de R$ 2,979 a R$ 3,999. Já na modalidade de débito ou crédito, o preço varia de R$ 2,999 a R$ 3,999.

Relacionadas